Estudo Mundial da OREO revela que o espírito da infância está em vias de extinção

Author: Share:

Os resultados de um novo estudo mundial divulgado hoje, pela OREO mostram que, da China à Polónia, de Portugal à Venezuela, o espírito da infância pode ser uma espécie em vias de extinção. O estudo revela, ainda, que 57% dos pais portugueses inquiridos, sente que passa pouco tempo a brincar com os seus filhos.

Sete em cada dez pais, em todo o mundo, dizem que as suas crianças devem ter mais tempo para serem crianças, mas que isso nem sempre é possível, devido ao excesso de atividades a que estão sujeitos. Em Portugal, 8 em cada 10 pais, sente que as crianças enfrentam hoje mais pressões do que há alguns anos, e que isso faz com que as crianças cresçam mais depressa.

A magia do espírito da infância está em declínio não só para as crianças, mas também para os adultos. Em qualquer parte do mundo, os pais anseiam reencontrar, na idade adulta, a mesma leveza de espírito que sentiam quando eram crianças. Em Portugal, 85% dos pais gostavam de recuperar este sentimento, e 81% afirma que os seus filhos os ajudam a manter viva a criança dentro de cada um deles.

O “Estudo Mundial do Espírito da Infância”, desenvolvido pela Ipsos Public Affairs, para a OREO, avaliou como está o espírito da infância em mais de 7000 famílias de 20 países em todo o mundo. O objetivo era perceber se, miúdos e graúdos, ainda conseguem ter tempo para apreciar o prazer de ser criança.

“Como falamos regularmente com os nossos consumidores, em todo o mundo, é frequente ouvirmos falar sobre a importância de apreciar a leveza que está associada à infância, independentemente da idade que tenhamos”, diz Sheeba Philip, Global Brand Director da OREO. “Acreditamos que este sentimento é especialmente importante, nos dias de hoje”.

Diversão em Família: Cada minuto vale ouro

Apesar de, segundo os dados obtidos, o espírito da infância entre os adultos, estar a esmorecer, o desejo de passar mais tempo com os seus filhos, não diminui. Em Portugal, metade dos pais inquiridos acha que passa pouco tempo a brincar com os filhos. Aliás, Portugal é o país com a mais alta percentagem de pais a afirmarem passarem demasiado tempo no trabalho – 60%.

A capacidade de se divertirem sem preocupações é um sentimento raro para os pais e filhos, e por isso cada minuto passado em conjunto, vale ouro – literalmente. Mais de metade dos pais, em países como Índia (77%) e México (54%), trocariam parte do seu vencimento para terem mais tempo com os seus filhos. E, quatro em cada cinco pais, em todo o mundo, declara mesmo que a diversão em família é ― o que há de mais importante na vida‖ – em Portugal, a percentagem de pais que concordam com esta afirmação chega aos 94%.

Tecnologia: uma faca de dois gumes

Num mundo dominado pelo imediatismo e velocidade, a tecnologia e os social media têm um impacto enorme na alteração das dinâmicas da vida familiar. Em todo o mundo, os pais concordam que a tecnologia lhes permite manter a sua família em contacto, mas também afirmam que isso tem um custo. Quase metade das 7000 famílias inquiridas, diz mesmo que as suas famílias se distraem com a tecnologia, quando estão juntos. Para 59% das famílias portuguesas, a tecnologia também significa que estão facilmente ligados à sua vida profissional, mesmo quando estão em casa com a família.

A tecnologia influencia fortemente a forma como as crianças de hoje em dia, passam tempo com os seus pais e família. Apenas 23% dos pais dizem que comunicam mais com os seus filhos, através da tecnologia, do que presencialmente. Em economias de rápido crescimento, como a China e Índia, estudos afirmam que a tecnologia tem um papel tão importante no dia-a-dia, que estes números, nos pais inquiridos, sobem para 52% e 42%, respetivamente.

Temos que manter a esperança viva

Apesar das crescentes pressões e distrações, que afetam o tempo que as famílias passam em conjunto, ainda podemos ter esperança. Na verdade, mais de 88% dizem que estão empenhados em que os seus filhos desfrutem ao máximo da sua infância, e quase 9 em cada 10 pais, em Portugal, desejam que os seus filhos tenham tempo para serem apenas crianças.

“Em todos os países e culturas, partilhamos um sentimento: o de celebrar a criança que há dentro de cada um de nós. O ano de 2012 marca o centésimo aniversário da OREO. Por isso, vamos aproveitar este momento para celebrar o espírito da infância, e em criar momentos especiais e simples para todas as famílias e fãs de OREO em todo o mundo”, diz Sheeba Philip.

Sobre o Estudo

Este estudo foi desenvolvido pela Ipsos Public Affairs durante um período de seis semanas, entre Novembro e Dezembro de 2011. Mais de 7000 pais com crianças até aos 18 anos participaram neste estudo. Inquéritos locais foram conduzidos, tanto online como presencialmente, em 20 países, incluindo: Canada, China, Colômbia, Costa Rica, Equador, França, Alemanha, Índia, Indonésia, Malásia, México, Perú, Polónia, Porto Rico, Roménia, Espanha, Reino Unido, Portugal, Estados Unidos da América e Venezuela.

Clique para mais informações

Pub

Informação relacionada