A visão pessoal de Monsieur C. Lacroix para o mundo Desigual

Author: Share:

O universo desenvolvido pelo designer Monsieur C. Lacroix no seio do planeta Desigual multiplica-se esta temporada, reinterpretando os ícones que o tornam ainda mais reconhecível e atingindo a linha de homem e a nova linha de Shoes.
“A linha que desenhei para a coleção Primavera/Verão 2012 transmite a minha visão pessoal do mundo Desigual, suficientemente rico em si mesmo, mas ao que pretendi acrescentar alguns toques do meu próprio universo particular”. Sob esta premissa, o modista combina passado e presente para inventar o futuro.

A primeira das propostas pressupõe um encontro de motivos geométricos próprios da marca com novas interpretações: riscas e gráficos misturados com traços de tapeçaria antiga, referências inspiradas no cubismo e no construtivismo combinadas com antigas talhas rococó do século XVIII, tudo muito rico e denso, como se fosse ampliado sob o microscópio, mas com um toque de elegância.

Também encontramos reminiscências de cerâmicas orientais e bouquets contemporâneos, misturadas com o refinamento de motivos otomanos, surgindo como outra forma de inventar o futuro, misturando culturas entre si, no espaço e no tempo. Detalhes de lantejoulas e flores bordadas, um mix de temática oriental com flores pop art.
A procurar uma feminilidade mais subtil, esta linha aposta em vestidos curtos, t-shirts e saias no limite do romantismo. Cor-de-rosa envelhecido, verde lima, cru, azul e ouro ou prata, uma gama pastel pouco habitual na Desigual, em ponto de croché ou jacquard… O objetivo consiste em adoçar alguns padrões baseados numa nostalgia desfasada que se torna moderna, para uma mulher mais poética, menos casual, decididamente contemporânea.

Uma mini-cápsula deliciosa de peças inspiradas no ballet russo, nos fatos da época de Diaghilev e Nijinsky. Uma forma de interpretar uma personagem, no palco e na vida. Sobretudos em forma de trapézio, vestidos baby doll, saias… com toques de ouro e bordados, em tons cor-de-rosa, amarelos e azuis, seguindo-se outros tons baseados nos detalhes barrocos das óperas, dos teatros e dos castelos franceses. Este estilo, presente no espírito Desigual, apresenta-se aqui mais histórico e cerimonial, para uma mulher clássica, mas também a pensar na mulher mais audaz que pode combinar estas peças com básicos de desporto.

A coleção reforça-se em acessórios, alcança também o homem e inaugura a nova linha de sapatos que desenvolve um conceito oriental e apresenta um mix de prints geométricos e saltos que são puro artesanato de última geração. A bijuteria é uma mistura étnica antiga com prints da coleção. As malas voltam a ser uma mistura do universo DESIGUAL com a particular forma de compreender a moda do designer Monsieur C. Lacroix.

Com esta coleção, o designer Monsieur C. Lacroix pretende ser ainda mais DESIGUAL, encontrando novas formas de expressão do espírito da marca e experimentando outros territórios, apropriando-se do lema da coleção NEW&GOOD.

Pub

Informação relacionada