Chill Factory é espaço para divulgação da TREsemmé

Author: Share:

A parceria entre Renato Luís, proprietário do Chill Factory, e a TREsemmé surgiu de um convite e “tem corrido bem” disse ao ShoppingSpirit o embaixador da marca, que sublinha a qualidade dos produtos que utiliza no salão, mas na gama para cabeleireiros.

O salão serve de espaço de divulgação da Tresemmé, não sendo possível aos clientes comprarem os produtos. Estes terão de ser adquiridos nas grandes superfícies onde estão disponíveis.

A função enquanto embaixador é divulgar o produto perante as clientes e dar a cara pelo produto em Portugal em eventos e em apresentações de linhas.

Os produtos Tresemmé ” são bons, cuidam do cabelo e têm uma relação qualidade preço excelente para quem quer ter um cabelo bem cuidado sem gastar muito dinheiro”, diz Renato Luís.

“Por norma estes produtos trazem muito detergente o que deixa o cabelo muito pesado, o que não acontece com a Tresemmé que deixa o cabelo muito leve”, defende ainda o embaixador da marca.

Sobre a moda para cabelos Renato Luís diz que as tendências deste ano são para os cabelos pelos ombros, os long-bob, ligeiramente assimétrico, um pouco mais curto de um lado do que do outro. As franjas continuam se bem que no corte desta estação o risco ao meio é um “must have”.

Nos curtos a tendência são os cabelos sem nucas, muito curtinho dos lados e nuca e depois muito bem penteado na parte de cima, muito bem estilizado, certinho, numa onda garçonette, mais parisience.

Nos cabelos compridos usam-se demasiadamente comprido com muito movimento, muitos caracóis, bem marcados a lembrar.

Em relação a cor, usam-se os acobreados, os castanhos, preto.

As tendências para o Verão saem em Paris por volta do final de Fevereiro, princípio de Março, enquanto que a de Espanha sai um pouco mais tarde. A moda de Paris é mais clássica, para a mulher do dia a dia.

A moda de Barcelona é uma moda mais jovem. A moda italiana é uma mistura dos dois e está a desenvolver-se muito rapidamente, diz Renato Luís.

A moda de França é aquela que tem maior preponderância porque é aquela que se adequa a quase todo o tipo de mulher.

“É uma tendência prática acima de tudo, clássica e que tem sempre algum toque de moderno”.

Renato Luís lembra porém que são “tendências” e que estas têm que ser adaptadas ao mercado e a cada pessoa.

“Às vezes é complicado atingir o equilíbrio”, confessa, embora acrescente que a mulher portuguesa começa a ser já “um pouco mais atrevida e a perder o medo”, até porque agora existem uma série de soluções como as extensões, que corrigem qualquer situação.

Pub

Informação relacionada