Dahlia Noir o novo perfume feminino da Givenchy

Author: Share:

Esta primeira fragrância desenvolvida sob a direcção criativa de Riccardo Tisci, Dahlia Noir, personifica uma mulher misteriosa e atípica. Não existe nada de anti-ético nesta tensão entre luz e sombra, entre o perigo e a delicadeza, o sagrado e o profano. Aqui assume uma identidade olfactiva hipnotizante, intensa e empoada, floral e amadeirada. Dahlia Noir desperta as chamas do desejo.

Tal como as criações de Moda de Riccardo Tisci, Dahlia Noir ressoa com uma força frágil, uma convergência de forças opostas, para melhor expressar a suavidade e força da mulher que a usa.

Mariacarla Boscono encarna Dahlia Noir, como uma aparição mística, uma flor imaginária que espalha as suas pétalas. O seu olhar poderoso, suave mas aprisionante, a sua presença livre e inquietante fazem dela um verdadeiro ícone contemporâneo. O vestido de chiffon preto desenhado por Riccardo Tisci capta o espírito intrigante da flor retratada por Mariacarla.

A imagem publicitária foi desenvolvida por Mert Alas e Marcus Piggott, fotógrafos de moda de renome internacional graças às suas campanhas de moda e publicidade.

Mariacarla Boscono, a imagem viva de Dahlia Noir, é uma modelo italiana cujo rosto é reconhecido em todo o mundo. Desde há vários anos que tem vindo a trabalhar ao lado de Riccardo, e desde os seus tempos de estudantes em Londres, na Central Saint Martin’s School, onde Mariacarla foi a primeira modelo a usar as coleções de Riccardo, que tem existido sempre uma alquimia especial entre os dois. Mariacarla tem sido o rosto das campanhas Givenchy desde 2005.

Mariacarla personifica na perfeição a mulher Dahlia Noir: forte ainda que frágil ao mesmo tempo. Italiana como Riccardo Tisci, eles têm em comum o temperamento forte, uma imaginação prodigiosa e o gosto por uma elegância atípica.

Dirigido por Fabien Baron, o filme de Dahlia Noir surge como um convite para entrarmos num encantamento poético, um ritual pagão que celebra a invocação de uma profecia surrealista. Como uma criatura vinda de outro mundo, a deusa de um tempo mítico, Mariacarla surge por entre transparências esfumadas de um vento de chiffon preto. A estatura requintada do seu corpo andrógeno encontra-se adornada com couro e seda. Uma dália negra que floresce e volta a fechar.

Pub

Informação relacionada