Adega Mayor inspira-se na astronomia para criar Orionte

Author: Share:

A Adega Mayor, marca vitivinícola do Grupo Nabeiro, foi buscar inspiração à astronomia, mais precisamente à constelação Orion para criar o seu primeiro vinho licoroso, proveniente da casta Alicante Bouschet.

Depois de uma vindima manual e uma criteriosa selecção de cachos e bagos, a uva fermentou em depósito de inox a uma temperatura de 25º. A meio da fermentação foi adicionada aguardente vínica, tendo o lote estagiado durante 36 meses em barricas de carvalho francês ao que se seguiu um estágio de seis meses em garrafa.

O resultado é um sabor, equilibrado, com a quantidade de doçura certa e frescura, e perfume de cerejas pretas, tem notas de chocolate amargo, num verdadeiro casamento feito no céu, dentro de uma garrafa, bojuda, com um design original e moderno.

Durante uma visita a Campo Maior, um grupo de jornalistas teve ocasião de provar o novo lançamento da Adega Mayor, depois de um almoço típico alentejano, para acompanhar a sobremesa e que acabou por ser o culminar de uma visita onde os jornalistas puderam sentir a experiência de vindimar e conhecer as técnicas e segredos da apanha da uva, bem como da sua transformação em vinho ao ouvir as explicações tanto do engenheiro agrónomo José Rodrigues e do enólogo Carlos Rodrigues.

Nos cerca de 75 hectares de vinha plantada nas herdades das Argamassas e da Godinha, além de outros que são arrendados, existem oito castas de uvas tintas das quais se destacam a Trincadeira, Alicante Bouschet e Aragonês. No vinho branco, a Adega Mayor aposta em cinco castas, das quais destaca o Verdelho, Arinto e Antão Vaz. Actualmente além do licoroso Orionte, a Adega Mayor produz 10 vinhos, dos quais quatro são brancos: Caiado, Monte Mayor, Solista Verdelho e Reserva do Comendador, um rosé (Monte Mayor), cinco tintos: Caiado, Monte Mayor, Solista Touriga Nacional, reserva do Comendador e Pai Chão.

A adega, edifício branco de linhas simples desenhado pelo arquitecto Siza Vieira é a concretização de um sonho do comendador Rui Nabeiro e onde a magia acontece: Ali os visitantes conhecem passo a passo a transformação da uva em vinho, ficam a saber a importância do cuidado no controle da temperatura e da humidade na sala onde o vinho envelhece ou vai adquirindo as suas propriedades e taninos em barricas de carvalho francês ou, em alguns casos, estagia já engarrafado. Cuidados que espelham a preocupação em apresentar um produto final com qualidade.

Este ano a Adega Mayor começou a trabalhar com alguns parceiros dentro do turismo o que ajudou a criar pacotes e actividades que se complementam com a visita à adega e às provas. Voos em balão de ar quente, que proporcionam uma experiência verdadeiramente única de poder desfrutar de uma vista privilegiada sobre a magnífica planície alentejana viajando “ao sabor” do vento, passeios de BTT ou passeios de barco na Barragem do Caia, a maior albufeira do distrito de Portalegre ou birdwatching e observação das estrelas são algumas das actividades que podem ser feitas.

Os programas também podem incluir dormida no Hotel Santa Beatriz, um dos parceiros do grupo.

Qualquer pessoa ou grupo que queira fazer uma visita pode fazê-lo mas deverá fazer uma pré-reserva para assegurar que terá alguém disponível para os poder guiar. Os preços das visitas e provas oscilam entre 3,50 euros para o pacote mais básico, e os 10 euros que já inclui uma prova com mais vinhos.

Depois da visita e das provas, os interessados poderão conhecer a loja e adquirir os vinhos e os restantes produtos da Adega Mayor como o azeite e o vinagre.

Pub

Informação relacionada