Hábitos alimentares são responsáveis por uma em cada três mortes por cancro

No âmbito do Dia Mundial da Alimentação, a União Humanitária dos Doentes com Cancro alerta para a importância da alimentação na prevenção do cancro e na melhoria do prognóstico do doente oncológico.

“O cancro e a malnutrição são duas condições que estão frequentemente associadas, seja pelas alterações fisiológicas resultantes da doença, seja pelos efeitos colaterais do tratamento, como a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia, sendo fundamental realizar uma adequada intervenção nutricional. Factor que deve ser encarado como um complemento fundamental ao tratamento”, explica Cláudia Costa da União Humanitária dos Doentes com Cancro.

Uma alimentação correcta pode prevenir o desenvolvimento de certos tipos de cancro e aumentar a capacidade de resposta do organismo e contribuir para a evolução positiva da doença, após diagnóstico. “É, pois, fundamental um estado nutricional adequado que ajude a prevenir complicações e outras doenças, a optimizar a qualidade de vida do doente nos vários estádios da doença, a aumentar a resposta e tolerância aos tratamentos e a obter alta hospitalar mais cedo. Verifica-se que, na maior parte dos casos, as necessidades nutricionais dos doentes oncológicos são superiores às da população em geral”, continua a especialista.

Dados mostram que a desnutrição afecta 40 a 80% dos doentes oncológicos e que a maioria dos familiares e amigos, destes pacientes, não sabem como lidar com o problema, apesar de reconhecerem que as carências alimentares, decorrentes do cancro, são graves ou muito graves.

Começam também a existir evidências e estudos que relacionam uma nutrição adequada e equilibrada por suplementos nutricionais ao atraso do desenvolvimento do cancro.

Os hábitos alimentares incorrectos são responsáveis por uma em cada três mortes por cancro. “É essencial a ingestão de fruta e vegetais frescos e cereais ricos em fibras; evitar o excesso de peso, praticar exercício físico e consumir poucos alimentos ricos em gorduras”, aconselha a especialista.

De acordo com o relatório ‘Food, Nutrition and Prevention of Cancer – A Global Perspective’ é possível identificar alimentos ou nutrientes que podem favorecer o desenvolvimento do cancro ou travar a sua evolução. Os legumes, a fruta e os alimentos ricos em fibras são dos alimentos que mais contribuem para prevenir alguns tipos de cancro, como o cancro da boca e garganta, esófago, estômago, cólon e recto, pâncreas, fígado, pulmões, mama, ovários, próstata, bexiga, útero e rins.

Recomendado para si

Marisco reinventa-se na nova carta do Quiosque Ribadouro O Quiosque Ribadouro, espaço que pertence à Cervejaria Ribadouro, começa o Outono com grandes novidades que passam não só pela carta como também pelo ...
Klorane Bebé apresenta novas fórmulas e imagem Nova imagem, novas fórmulas naturais e mais respeitadoras da natureza, a Klorane Bebé renasce em 2018 para dar o maior conforto e segurança aos pais e...
Oliveira da Serra regressa com uma edição especial o Melhor ... Oliveira da Serra regressa com uma edição especial o Melhor Azeite do Mundo, produto que surge depois da marca ser reconhecida com a mais alta distinç...
“A Cerveja em Lisboa” vai ter a sua segunda ediç... A Cerveja em Lisboa vai ter a sua segunda edição no Campo Pequeno, de 4 a 7 de Outubro de 2018. Com um conceito ao estilo do Oktoberfest alemão, o ev...
Perfumes & Companhia reabre no Braga Parque Uma das mais importantes lojas da Perfumes & Companhia reabrirá esta sexta-feira – dia 21 de Setembro – no Braga Parque. Esta marco veio reforçar ...
Reclamações contra ginásios aumentaram 81% O Portal da Queixa – maior rede social de consumidores de Portugal - registou um aumento, na ordem dos 81%, do número de reclamações dirigidas a ginás...