Situação da classe média portuguesa em deterioração

Author: Share:

O Barómetro Europeu do Observador Cetelem, revela que mais de metade da classe média portuguesa considera que a sua situação financeira se degradou na última década. O aumento do custo de vida em geral, juntamente com o aumento de impostos e a baixa de rendimentos, são fatores que levaram à deterioração das condições materiais e financeiras das famílias portuguesas.

Segundo este estudo do Observador Cetelem, a classe média considera-se em pleno processo de empobrecimento. Há alguns anos que é afetada pelo aumento dos preços, pelas medidas de austeridade ou pelos sacrifícios pessoais. Contudo, beneficiou globalmente de progressos importantes. A geração anterior, aqueles que são os pais dos consumidores da classe média de hoje, não beneficiavam das mesmas vantagens sociais e viveram numa época em que não era tão importante realizar esforços pelos produtos na altura considerados luxuosos, porque as suas necessidades eram mais primárias.

42% dos indivíduos da classe média portuguesa apontam o aumento do custo de vida como o motivo principal de degradação da situação financeira. Já para 32% a diminuição dos rendimentos e o aumento dos impostos é a justificação possível. O motivo menos citado pelos inquiridos em Portugal é a mudança dos hábitos de consumo (2%).

Da classe média analisada em Portugal, apenas 16% dos inquiridos acredita que a sua situação financeira permaneceu estável nos últimos anos, não tendo sido abalada pela crise económica. Quando questionados sobre a sua situação material, 19% afirma que nada se alterou e 44% acredita que se tem vindo a deteriorar.

Ficha Técnica

Para as análises e previsões deste estudo foram inquiridas amostras representativas das populações nacionais (18 anos e superior) de doze países: Alemanha, Espanha, França, Hungria, Itália, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia, Reino Unido, Rússia e Eslováquia – mais de 6.500 Europeus inquiridos a partir de amostras com pelo menos 500 indivíduos por país. Os inquéritos foram realizados em parceria com o gabinete de estudos e consultoria BIPE, com base num inquérito barométrico conduzido no terreno em Novembro/Dezembro de 2011, pela TNS Sofres.

A coerência entre a definição das classes médias dos diferentes países manteve-se através de uma aproximação à realidade, permitindo comparações internacionais. Para tal, utilizou-se uma classificação económica habitual, em função de décimos de rendimentos: para o Observador Cetelem, a classe média corresponde às famílias.

Pub

Informação relacionada