Probióticos podem ajudar a prevenir cólicas em bebés saudáveis

Author: Share:

Os resultados do estudo clínico envolvendo 468 recém-nascidos saudáveis, demonstraram que os bebés que tomaram o probiótico Lactobacillus reuteri Protectis, da Jaba Recordati, choraram menos de metade do tempo do que os bebés a quem foi dado um placebo.

Verificou-se, igualmente, que aqueles recém-nascidos apresentavam diariamente menos regurgitações e prisão de ventre comparativamente com os recém-nascidos do grupo placebo. Consequentemente, o uso de Lactobacillus reuteri Protectis permitiu aos pais e à comunidade uma redução de custos.

“Este é o primeiro estudo que prova o uso profilático de uma estirpe distinta (L. reuteri Protectis) com propriedades probióticas no combate dos distúrbios funcionais do trato gastrintestinal (cólicas, regurgitação e prisão de ventre). Esta é também a primeira avaliação custo/benefício de uma terapia probiótica em bebês que comprova a mais-valia para a família e sociedade de L. reuteri Protectis”, afirma a Dr.ª Flavia Indrio do Departamento de Pediatria da Universidade de Bari, em Itália.

A administração teve início nos primeiros dias de vida. Após um mês de uso com Lactobacillus reuteri Protectis gotas, os bebés choraram menos de metade do tempo por dia (45 minutos) do que as crianças que receberam placebo (96 minutos). Esta diferença entre os grupos continuou até final dos três meses de administração.

Os recém-nascidos do grupo Lactobacillus reuteri Protectis apresentaram também melhor mobilidade do intestino, provocando significativamente mais evacuações diárias e menos regurgitação em comparação com os recém-nascidos do grupo placebo.

Não são apenas as cólicas, mas também a regurgitação e prisão de ventre provocam dor no bebé. Estes sintomas levam frequentemente a visitas ao pediatra, e, também ao internamento e medicação, além da ansiedade que provocam aos pais e perda de dias de trabalho.

O Lactobacilus reuteri é o agente ativo de BioGaia. Trata-se de um probiótico cujo agente foi isolado a partir do leite humano, o que praticamente elimina o índice de rejeição do produto.

Pub

Informação relacionada