Terra a Terra e Quanta Terra premiados no International Wine Challenge

Author: Share:

As Caves Transmontanas e Quanta Terra, produtores da região do Douro ligados pelo talento e criatividade na produção de vinhos de qualidade superior, conquistaram quatro medalhas de prata num dos maiores eventos do setor do mundo. Esta foi a 31ª edição do International Wine Challenge (IWC), realizado recentemente em Londres.

A história destes dois produtores é partilhada pela vontade de produzir vinhos com caráter poderoso e fiéis ao terroir único do Douro. Em atividade desde os anos 80, as Caves Transmontanas continuam a dar vida ao ambicioso projeto de fazer espumantes de qualidade excecional, através da marca Vértice, aclamados pela crítica nacional e internacional como os espumantes nº 1 em Portugal. Um posicionamento consistente e forte que permitiu ao produtor estender o seu selo de garantia aos vinhos de mesa DOC Douro, através da criação, no final dos anos 90, da Quanta Terra, projeto da responsabilidade dos enólogos Celso Pereira (também das Caves Transmontanas) e Jorge Alves.

Terra a Terra Reserva Branco 2012 é elaborado a partir das castas Rabigato, Códega do Larinho, Gouveio e Viosinho e fermentado em barrica. No nariz apresenta aromas de boa intensidade e muita frescura, com notas leves de geleia, citrinos, fruta tropical opulenta. Na boca, é fresco, macio e redondo, terminando com boa mineralidade.

Na categoria dos tintos, Terra a Terra Reserva 2010 é já uma referência no Douro. Produzido a partir das castas tradicionais Touriga Nacional, Tinta Barroca, Touriga Franca e Sousão, este vinho estagiou durante 12 meses em barricas de carvalho francês de segundo ano. Os aromas são frescos e penetrantes, com notas equilibradas de cacau e baunilha. No palato, sugere especiarias e apresenta-se equilibrado e arredondando, com final estruturado e de boa concentração.

Quanta Terra Grande Reserva Branco 2012 é um vinho feito através das castas Viosinho e Gouveio com estágio de 18 meses em barrica de carvalho francês. Os aromas são expressivos, com notas de fruta de pomar, toques fumados não excessivos e baunilha. Na boca, é intenso, com boa estrutura e equilibrado entre a fruta e a madeira, o que lhe confere uma boa acidez. O final é persistente e elegante.

Das Caves Transmontanas, um clássico Vértice Grande Reserva Tinto 2010. Com personalidade duriense, através das castas Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Barroca, este espumante apresenta uma cor rubi carregada e nariz marcado por notas de fruta negra com toque fumado. Na boca é estruturado e volumoso, com carácter complexo. O final é memorável.

Quatro sugestões de topo que conquistaram o júri de um dos mais influentes concursos internacionais de vinhos, distribuídos em Portugal pela On Wine Distribuição. Um bom pretexto para abrir uma destas garrafas para brindar aos dias quentes da estação.

Pub

Informação relacionada