Portugueses são os europeus que mais partilham boleias

Author: Share:

De entre os europeus, os portugueses são os mais adeptos da partilha de deslocações, que se tem afirmado cada vez mais como alternativa de mobilidade. 28% dos portugueses partilharam deslocações no último ano, um valor significativamente acima da média europeia (20%). Estes dados fazem parte de um estudo do Observador Cetelem sobre o futuro do mercado automóvel e são agora revelados no âmbito das iniciativas do Dia Europeu sem Carros, que se assinala a 22 de setembro.

No ano passado, já muitos portugueses (43%) manifestavam interesse na utilização conjunta de viatura, mas apenas 6% recorriam efetivamente a esta alternativa de mobilidade. Este valor chega agora aos 28% (+22 p.p. face a 2013), um aumento bastante significativo que, para além de ser uma consequência da crise económica, revela também uma maior consciencialização dos portugueses para o impacto negativo do uso do carro para o ambiente. 57% dos portugueses consideram que as viaturas são atualmente a principal causa da poluição e 64% aponta as emissões de gases com efeito de estufa como um dos principais inconvenientes das viaturas.

A acompanhar a crescente tendência da partilha de deslocações entre consumidores, têm surgido inúmeros portais e sites que visam facilitar esta partilha.

No último ano, foram anunciadas mais de 11 mil viagens no Boleia.net, um dos mais conhecidos sites de boleias. Os jovens revelam ser os mais adeptos das boleias, uma vez que a maioria dos utilizadores deste portal (58%) tem entre 20 e 35 anos. Quanto ao tipo de anúncios, 63% dos anúncios dizem respeito a viagens ocasionais e os restantes 37% referem-se a viagens regulares que, de acordo com o Boleia.net, são cada vez mais comuns. Os cinco trajetos mais pesquisados são: Porto-Lisboa, Lisboa-Porto, Porto-Braga, Lisboa-Setúbal e Lisboa-Coimbra.

«Não sendo possível eliminar totalmente os automóveis, as boleias levam a uma redução da taxa de motorização e, consequentemente, a uma diminuição das emissões de dióxido de carbono para a atmosfera. Os portugueses, à semelhança dos europeus, estão a modificar o seu comportamento face ao automóvel e mostram-se cada vez mais recetivos a novas formas de mobilidade, mais económicas e ecológicas. Se ontem o automóvel era visto como um bem individual, no futuro será certamente um bem partilhado entre consumidores», afirma Diogo Lopes Pereira, diretor de marketing do Cetelem.

O Dia Europeu Sem Carros que se comemora na próxima segunda-feira, dia 22 de setembro, pretende sensibilizar os consumidores para a importância da redução do tráfego, como forma de melhorar a qualidade de vida através da garantia da sustentabilidade dos recursos naturais, que só é possível com a redução das emissões de CO2.

As análises económicas e de marketing, bem como as previsões, para o Caderno Automóvel 2014, foram efetuadas em colaboração com a empresa de estudos e consultoria BIPE (www.bipe.com). Os inquéritos de campo ao consumidor foram conduzidos pela TNS Sofres, durante o mês de novembro de 2013, em oito países da Europa (Alemanha, França, Itália, Portugal, Espanha, Bélgica, Reino Unido e Turquia), com amostras representativas das populações nacionais (pelo menos 600 pessoas por país), num total de 4.830 pessoas questionadas pela Internet.

Pub

Informação relacionada