Mercado de Campo de Ourique comemora um ano

Author: Share:

O Mercado de Campo de Ourique, considerado um dos mais inovadores projetos da capital portuguesa em 2013, celebra em novembro um ano de existência com um balanço muito positivo, com mais de 530.000 visitas, conceitos novos, exposição na comunicação social e redes sociais.

O Mercado tornou-se num lugar de encontros, na “sala” de Lisboa, que conjuga na perfeição a receita tradicional portuguesa com as vantagens dos tempos modernos. São 22 “tasquinhas” instaladas na zona central do mercado que em conjunto trouxeram mais vida ao bairro e impulsionaram significativos aumentos nas vendas das bancas tradicionais já existentes (em alguns casos quase 70%).

O espírito de solidariedade e o bom ambiente vivido entre os novos lojistas e os comerciantes já locais potencia agradáveis sinergias com as “tasquinhas” a abastecerem-se muitas vezes nas bancas tradicionais para elaborarem as suas receitas – como explica um dos sócios fundadores do Mercado, Diogo Sousa Coutinho, que em conjunto com João Cota Dias e David Igrejas, tem vindo a administrar o primeiro mercado a ser renovado em Lisboa.

Às bancas tradicionais de legumes, fruta ou peixe, juntaram-se mais de 20 tasquinhas com uma oferta muito variada: marisco, doces conventuais, vinhos, gelados, sushi, queijos, petiscos tradicionais ou hambúrgueres gourmet, unidos por uma experiência única para o paladar e a visão. Um Mercado eclético, em que tradição e a sofisticação trabalham em conjunto para dar a conhecer os grandes prazeres da gastronomia portuguesa a qualquer hora do dia, todos os dias.

Durante o último ano, o Mercado de Campo de Ourique foi ganhando ainda mais vida com a abertura de novos conceitos que vieram completar a sua oferta e amplificar a sua versatilidade:

– A “Champanharia”, especializada em champanhes e espumantes de qualidade;

– As “Cervejas do Mundo” e as “Cervejas do Mercado”, dois quiosques vocacionados para a experiência da Cerveja;

– A carpacceria “Contessa Antipasti” com os recém chegados tártaros e pica-paus de peixe numa carta que vem adicionar uma opção saudável à oferta do Mercado;

– Os “Frutos Secos do Mercado”, a “Parceria das Conservas”, a “Algaraviada” e a “Praia da Compota” bancas tradicionais renovadas com uma grande variedade de produtos para levar para casa ou oferecer como lembrança.

Até ao início de dezembro existirá ainda a “Garrafeira do Mercado”, direcionada aos amantes de vinho e outras bebidas.

Os próximos anos prometem ser promissores com a intensificação da afluência do público estrangeiro para o qual está montada uma estratégia de comunicação forte e sistemática, e com a aposta na manutenção do público residente através de um serviço próximo e personalizado e de uma oferta cada vez mais abrangente.

A marca pretende fortalecer a sua notoriedade também através da continuação da realização de eventos temáticos e de ações periódicas. Os concertos ao vivo de Jazz são já um forte cartão-de-visita que o Mercado pretende manter, bem como as atuações de bandas e DJ’s que trazem mais ambiente e animação ao público.

Pub

Informação relacionada