Portugueses preocupados com familiares idosos

Author: Share:
portugueses-preocupados-familiares-idosos

Portugal é um dos países europeus onde a solidariedade familiar entre gerações é mais vincada.

De acordo com o Observador Cetelem do Consumo Europeu, 83% dos portugueses com mais de 50 anos preocupam-se com a situação dos seus ascendentes e 8% têm pelo menos um dos pais ou padrastos a viver na sua casa, um valor partilhado com a Itália e ultrapassado apenas pela Roménia, que regista 10%.

«Em países como o Reino Unido ou a Alemanha, a solidariedade entre gerações é menos intensa. O mesmo se passa com o modelo escandinavo, através do qual o estado liberta os cidadãos da responsabilidade de cuidar dos familiares idosos. Desta forma, o facto da coabitação intergeracional ser mais frequente em determinados países, como Portugal, não resulta apenas da crise económica, mas sim de fatores culturais», destaca Diogo Lopes Pereira, diretor de marketing do Cetelem.

Para 68% dos seniores europeus com pais e padrastos ainda vivos, apoiá-los financeiramente é importante. À semelhança da ajuda financeira que prestam aos filhos, as famílias ajudam sobretudo os ascendentes que não vivem consigo nas despesas correntes (33%) e na compra de equipamentos necessários, como mobiliário ou eletrodomésticos (24%), tanto ocasional como regularmente. Muitas famílias também ajudam os ascendentes com despesas relacionadas com a saúde, adaptação das habitações e aspetos relacionados com a qualidade de vida.

«Com a progressão da idade, o ritmo de vida acaba inevitavelmente por abrandar e surge alguma perda de autonomia, o que destaca a importância do apoio familiar. Na Europa, as famílias portuguesas são das que mais se preocupam com o futuro dos seus pais, mobilizando-se para os apoiar», conclui Diogo Lopes Pereira.

A tendência de envelhecimento da população, na Europa, tem sido acompanhada por uma progressão das aspirações de cada geração e verifica-se uma mudança de perfil dos seniores, que representam os idosos do futuro. O atual segmento sénior está cada vez mais preocupado com envelhecer de forma saudável e ativa. 36% dos seniores portugueses afirmam praticar desporto uma vez por semana e apenas 6% dizem não realizar algum tipo de caminhada. São também utilizadores ativos da internet.

Para as análises e previsões deste estudo foram inquiridos 10.673 europeus com amostras de, pelo menos, 800 indivíduos por país, das quais pelo menos 275 com idades entre os 50 e os 75 anos. O inquérito, feito através da Internet, realizou-se em 13 países: Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, França, Itália, Portugal, Reino Unido, Hungria, Polónia, República Checa, Eslováquia e Roménia. Os inquéritos foram realizados entre 2 de novembro e 4 de dezembro de 2015 pelo Observador Cetelem, em parceria com a sociedade de estudos e consultoria BIPE, com base num inquérito barométrico conduzido pela TNS Sofres.

Informação relacionada

Deixar um comentário