Douro: uma região de Contraste

Author: Share:

Num Douro gigante, onde cabem vários mundos, cada sub-região tem direito próprio. As paisagens agrestes e contraditórias, com terras montanhosas a desafiar os planaltos tranquilos, os extremos climáticos e a oposição entre tradição e inovação compõem uma região de contrastes, revelada nas novas colheitas de Contraste Branco 2015 e Contraste Tinto 2013.

Estes vinhos, que se propõem a dar a provar a região na sua plenitude, têm assinatura da arrojada Rita Marques, enóloga responsável pelos Vinhos Conceito. Na génese deste projeto está a ambição de dar a conhecer a multiplicidade de terroirs do Douro e transportar o consumidor para uma região complexa e inigualável, onde a produção de vinhos de mesa ainda é uma história por escrever.

No ano dos brancos do Douro, o Contraste Branco 2015 é, provavelmente, o melhor da sua linhagem até ao momento. Quem o diz é Mark Squires, provador oficial da publicação eRobert Parker/Wine Advocate, onde destacou esta nova colheita com 91 pontos. Na base deste vinho estão as castas Rabigato, Códega e Gouveio, que lhe conferem um nariz complexo com notas cítricas e muita frescura.

Já o Contraste Tinto 2013 surpreende pela elegância e pela complexidade, produzido a partir de uma mistura de castas tradicionais da região. 70% do vinho estagiou em barricas de 3º ano de carvalho francês, o que lhe confere uma cor carregada, notas de cassis, menta e tabaco, num boquet intenso, mas equilibrado. Na boca surpreende pela agradável frescura, sugerindo um final longo.

Pub

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

five × five =