Bragança faz viagem histórica até ao séc. XIV

As ruas e ruelas da cidadela de Bragança regressam ao reinado de D. Afonso IV em mais uma edição da Festa da História. De 12 a 15 de agosto, soldados que controlam a entrada do castelo, mercadores que agitam a feira com os seus pregões e larápios, que esperam os bolsos cheios dos mais distraídos, são algumas das personagens com que se irá cruzar.

Com entrada livre e com atividades pensadas para todas as idades, o Castelo de Bragança, um dos mais bem preservados de Portugal, acolhe, de 12 a 15 de agosto, a animada “Festa da História”. Esta feira medieval convida a regressar até ao período histórico em que reinou D. Afonso IV (1325-1357), uma época marcada por conflitos com o irmão bastardo Afonso Sanches.

Esta edição pretende retratar o ataque a Bragança (em 1326) resultado da primeira ordem de D. Afonso IV para que todos os bens, rendas e benefícios conferidos pelo seu pai ao meio-irmão fossem confiscados. Este momento de contextualização histórica – “Conflito de irmãos” – será representado nos dias 13 e 14 de agosto pelas 22h00, no Castelo de Bragança.

Mais de uma dezena de áreas temáticas e muitas atividades

É através das desavenças resultantes da disputa da herança de D. Dinis que, durante quatro dias, se conta a história desta época e se apresentam as personagens distribuídas por diferentes áreas temáticas da festa. Ao cruzar as portas da muralha da cidadela os visitantes, entre muitas outras atividades, vão encontrar: soldados que inspecionam e revistam quem deseja entrar no castelo; a “Praça D’Armas” onde se treinam os que têm a responsabilidade de manter a ordem no território e onde o visitante pode, através de inscrição, experimentar algumas técnicas de combate; mercadores que apregoam os seus produtos e transformam a “Feira” num espaço de verdadeira algazarra; jogos e brincadeiras de outros tempos que se adaptam ao mais forte dos cavaleiros e à mais bela das princesas; a “Rua dos Larápios”, com foragidos das autoridades que esperam os bolsos cheios dos mais distraídos; e, para repor energias dos visitantes na “Praça do Sustento” é possível encontrar as melhores iguarias que deixam com água na boca o nobre e o pedinte.

Hernâni Dias, Presidente da Câmara Municipal de Bragança, refere: “A Festa da História tem permitido envolver a comunidade de Bragança através da presença e participação nas atividades da feira, mas, também, na organização. Por outro lado, é importante destacar que este evento traz a Bragança muitos turistas portugueses e, também, da vizinha Espanha, o que tem permitido dinamizar a economia local e, consequentemente, promover o destino.”

Música, teatro, dança, espetáculos para crianças, demonstrações de falcoaria e oficinas pedagógicas são algumas das atividades permanentes e gratuitas da “Festa da História”. Para participar nestas atividades, basta fazer a inscrição prévia (até 30 minutos antes de cada sessão). De destacar, ainda, o “Torneio Medieval” a decorrer nos quatro dias da “Festa da História” às 22h00, no Castelo de Bragança.

Pub