MANGO reabre em Nova Iorque com flagship experimental

A MANGO reabriu ontem a sua flagship nos Estados Unidos da América, em Nova Iorque, na 561 Broadway Avenue, uma das principais zonas comerciais da cidade. Desta vez, a marca vai mais além do seu conceito já consolidado de loja, o que reflete a evolução da imagem e decoração nos seus novos pontos de venda, iniciados com a sua flagship da rua Serrano de Madrid, inaugurada no passado mês de março.

A loja foi desenhada para se ajustar à personalidade do histórico distrito em que está situada e para estar em harmonia com as raízes industriais do edifício em que se encontra. A decoração de linhas simples, com colunas de ferro forjado, piso de microcimento, elementos de mármore, móveis requintados e assentos de veludo, cria um espaço amplo e iluminado de quase 600 m2 que reúne as coleções de mulher e homem. A estas características juntam-se outras de natureza tecnológica, como os provadores inteligentes.

Mantendo a sua ligação com a cultura, a marca começará um projeto artístico através de um expositor sensorial disposto numa zona desenhada especialmente para conter instalações de arte, que se irão expondo ao longo do ano. Guillermo Corominas, diretor de Comunicação, garante que “a loja do SoHo é mais um passo no nosso desejo de criar um espaço diferente, onde a moda, a arte, a cultura e a tecnologia estão juntas. Investigamos e procuramos a inovação nos nossos pontos de venda, para oferecer uma experiência de compra única, dentro de um ambiente acolhedor, e esta flagship ajudar-nos-á a cumprir o nosso objetivo.”