Na Fábrica do Pastel de Feijão, o pastel é diferente!

Author: Share:

Chegou em Maio, pela mão do Chef António Amorim, um dos locais mais “doces” de Lisboa: A Fábrica do Pastel de Feijão onde o pastel é diferente.

A ideia de reinventar um dos doces regionais mais conhecidos levou quatro anos a ser concretizada, mas finalmente, o Chef António Amorim chegou ao produto que queria: um pastel de feijão muito saboroso, doce q.b., com uma textura húmida, mais interessante, com uma base e um topo caramelizado crocantes e um desenho diferente – rectangular.

Atualmente tudo acontece no espaço “cosy” a Fábrica do Pastel de Feijão, em Alfama, perto do Museu do Fado. Mas a aventura não começou ali. Começou precisamente na terra dos pastéis, em Torres Vedras, quando o Chef António Amorim abriu o restaurante A, de cozinha de autor, em 2014. O “novo” pastel depressa se tornou num sucesso chegando a ser considerado o melhor Pastel de Feijão de Torres Vedras.

Da receita apenas se sabe o que o Chef deixa saber… mas garante ser confecionada apenas com ingredientes de primeira qualidade, entre eles o feijão (pois claro!), “muita amêndoa e muitos ovos e nenhuma farinha”. O resultado é um pastel delicado e elegante, cheio sabor, que na primeira dentada se sente uma invasão crocante e doce, mas que não enjoa.

O sucesso continua e todos os dias são produzidos 1500 pastéis que além de servirem a clientela da Fábrica, servem também outros parceiros como por exemplo, o restaurante Pão à Mesa, onde António Amorim também é chefe-executivo. As parcerias para a distribuição do pastel são criteriosamente selecionadas porque a textura pode sofrer alterações. A humidade, por exemplo, altera o crocante.

Por essa razão também a forma mais fiel de comer o pastel é na própria fábrica onde pode acompanhar com um café, ou então, aventurar-se a comê-lo com um vinho branco doce. No entanto, segundo o chef, a maioria dos clientes opta por levar o pastel. O preço do pastel é 2,50 euros, justificado pelo tamanho, pela qualidade, pelos produtos e pelo trabalho envolvido. O pastel é também vendido em tamanho XL, com a dimensão de uma folha A4, com cerca de 1,4kg custa 30 euros com frutos vermelhos embora também haja a versão simples. Normalmente é vendido para ceias de Natal, aniversários ou outras comemorações como uma alternativa diferente.

Além do Pastel de Feijão, a Fábrica serve também menus de pequenos-almoços onde tudo é feito ao momento e em que tem muito sucesso, em especial, com os estrangeiros.

Natural de Baião, o chef António Amorim cedo conheceu o gosto de cozinhar e com oito fazia o seu almoço. Aos 13 começou a trabalhar num restaurante e regressou ao estudo, passando por diversas escolas de hotelaria. Entretanto a vida levou-o para as forças especiais durante 10 anos, mas regressou ao que mais gostava. No seu currículo tem passagens pelo Feitoria, no Altis Belém, no Villa Joya e chegou a ser segundo classificado no concurso Chef Cozinheiro do Ano em 2009. Sobre reinventar novos produtos, o chef não fecha as portas.

Pub

Informação relacionada