Marca de vinho sem álcool “Lancers Free” apoia causa

Author: Share:

Marca de Vinho sem álcool, Lancers Free, contribui para melhorar a qualidade de vida de pessoas com mobilidade reduzida através do projecto Acção Qualidade de Vida 2011, da Associação Salvador que assim apoiou 31 pessoas com mobilidade reduzida, contribuindo melhorando as suas condições de vida e promovendo a sua integração social.

Pelo segundo ano consecutivo, a marca de vinho sem álcool da José Maria da Fonseca Lancers Free (Rosé e Branco), associou-se ao projecto Acção Qualidade de Vida da Associação Salvador visando ajudar pessoas com mobilidade reduzida, ao mesmo tempo que sensibiliza a população para a questão do consumo exagerado de álcool.

“Foi com enorme prazer que a Lancers Free se associou pelo segundo ano a esta causa. Resta-nos agradecer a todos aqueles que, através da aquisição de Lancers Free (branco ou rosé), contribuíram para a mesma, permitindo ao projecto Acção Qualidade de Vida ajudar mais pessoas com deficiência motora, dando-lhes melhores condições para vencerem as dificuldades com que se confrontam dia-a-dia. Para a José Maria da Fonseca, esta é mais uma iniciativa desenvolvida no âmbito da política de responsabilidade social da empresa, da qual muito nos orgulhamos”, explica António Maria Soares Franco, Administrador da centenária produtora.

No âmbito da campanha de parceria entre Lancers Free e a Associação Salvador, que decorreu em 2011, ao adquirir uma garrafa de Lancers Free Branco ou Rosé, o consumidor contribuiu para a melhoria da qualidade de vida das pessoas apoiadas no âmbito do projecto Acção Qualidade de Vida.

Acção Qualidade de Vida – Edição 2011

A Acção Qualidade de Vida é uma iniciativa anual, criada em 2008 pela Associação Salvador, para atribuir apoios directos e pontuais a pessoas com deficiência motora cuja integração social possa estar limitada pela falta de recursos financeiros. A selecção das candidaturas é feita por um júri, constituído por um membro da Associação Salvador, um médico e uma psicóloga, com base nos seguintes critérios: grau de incapacidade; condição socioeconómica; necessidade do apoio; nível de integração; motivação para a mudança; e impacto na comunidade.

Pub