Home | Serviços Vários | Estudos | Vendas de vestuário no Mercado Ibérico voltam a subir após sete anos de perdas

Vendas de vestuário no Mercado Ibérico voltam a subir após sete anos de perdas

• As previsões para o final de 2014 apontam para um aumento de 2% do volume de negócios do mercado retalhista de vestuário em Espanha e Portugal, situando-se nos 20 400 milhões de euros.

• Em Espanha a faturação das lojas vai crescer perto de 2,5%, graças à retoma do consumo e apesar da intensa concorrência nos preços entre as principais cadeias. No mercado português a faturação ainda vai descer ligeiramente em 2014, atrasando a recuperação para 2015.

• Desde 2006, ano em que atingiu o valor mais elevado, o mercado ibérico perdeu cerca de 25% do seu valor.

• As cadeias especializadas continuam a aumentar a sua quota de mercado, principalmente à custa do pequeno comércio independente, e representam atualmente 53% do total do mercado ibérico.

Segundo o estudo Sectores “Distribuição de Vestuário (Mercado Ibérico)” publicado pela Informa D&B, estima-se um crescimento de cerca de 2% das receitas no conjunto do mercado ibérico em 2014, situando-se nos 20 400 milhões de euros. Esta subida acontece em virtude do melhor comportamento do consumo privado. Em 2015 o mercado poderá crescer na ordem dos 4% em valor, situando-se próximo dos 21 200 milhões de euros.

O volume de negócios em Espanha deverá crescer cerca de 2,5% em 2014 e o mercado português ainda vai registar uma descida ligeira de cerca de meio ponto percentual, esperando-se que inicie a sua recuperação no exercício de 2015.

Em 2013, as vendas do comércio retalhista de vestuário em Espanha e Portugal tinham descido 3%, para 20 025 milhões de euros, dos quais um pouco mais de metade corresponde às cadeias especializadas. Desde 2006, ano em que atingiu o valor mais elevado, o mercado ibérico perdeu cerca de 25% do seu valor.

O mercado em Espanha valia 16 600 milhões de euros em 2013, após ter registado uma quebra de 3,3%, mantendo a tendência descendente observada nos exercícios anteriores. O mercado português situou-se nos 3245 milhões de euros, 3,1% abaixo dos valores de 2012, ano em que a retração foi de 6%.

A contração do consumo das famílias e a redução dos preços de venda, num contexto de campanhas agressivas de promoções e descontos efetuadas pelos operadores para dinamizar a procura, foram as causas determinantes do prolongamento do perfil descendente do mercado.

Tanto em Espanha como em Portugal, a contração do volume de negócios foi especialmente relevante no segmento dos retalhistas independentes, com descidas na faturação de 10% e de 7% em 2013, respetivamente. Quanto ao volume de negócios, o segmento das grandes superfícies e supermercados registou uma descida próxima dos 3% em ambos os países. As cadeias especializadas, que continuam a ganhar quota de mercado graças aos seus planos de expansão, tiveram em 2013 uma faturação semelhante à do ano anterior.

Em dezembro de 2013 operavam no conjunto do mercado ibérico 74 200 estabelecimentos de venda a retalho de vestuário. Este número representa uma descida de 20% face ao valor mais elevado atingido em 2006. Em Espanha existiam cerca de 60 000 lojas em 2013, menos 0,3% do que em 2012, enquanto em Portugal o número de empresas presentes no sector era de 12 000.

Os cinco principais operadores do mercado ibérico detinham em 2013 uma quota total das vendas de 48% em valor. Em Espanha as cinco principais empresas representavam metade do mercado, face aos 32% registados em Portugal.

Fonte: Estudo Sectores de DBK: “Distribuição de Vestuário (Mercado Ibérico)”

Check Also

Diretamente do mar para o streetstyle

A PUMA X HELLY HANSEN juntaram-se para lançarem a sua primeira coleção que recria o estilo dos anos …