Roman Polanski adapta ao cinema «A Partir de Uma História Verdadeira», de Delphine de Vigan

roman-polanski-adapta-ao-cinema-partir-historia-verdadeira-delphine-vigan_1O realizador Roman Polanski vai adaptar ao cinema o mais recente romance da escritora francesa — e também realizadora — Delphine de Vigan, “A Partir de Uma História Verdadeira”. Olivier Assayas será o argumentista e estima-se que o filme chegue às salas de cinema em 2018.

Esta não é a primeira obra de Delphine de Vigan a ser adaptada ao grande ecrã. Obras anteriores como No et Moi ou À Coup Sûr são exemplo disso. A Partir de Uma História Verdadeira conta a inquietante história – que se suspeita que seja autobiográfica – da luta de uma escritora em começar um novo livro e a
relação perigosa que mantém com uma fã obcecada.

Conteúdo patrocinado

“Sim L. entrou na minha vida e perturbou-a profunda, lenta, segura e insidiosamente. L. entrou na minha vida como num palco de teatro, a meio da representação, como se um encenador se tivesse esforçado por esbater tudo à sua volta para lhe dar destaque, como se L. fosse planeada para revelar a sua
importância, para que naquele preciso momento o espectador e as outras personagens presentes na cena (eu, neste caso) só tivessem olhos para ela, para que
tudo, à nossa volta, ficasse em suspenso, e que a voz dela se ouvisse no fundo da sala, enfim para que ela pudesse sobressair.»

A Partir de Uma História Verdadeira foi galardoado com os prémios Renaudot 2015 e Goncourt des Lycéens 2015 e encontra-se disponível para compra nas livrarias portuguesas bem como online.

Sinopse

«Delphine crê que a sua incapacidade de escrever terá coincidido com a entrada de L. na sua vida. L. é a mulher perfeita: muito bonita, impecavelmente cuidada, tem grande sofisticação e inteligência. L. está também ligada à escrita – é ghostwriter. L. insinua-se lenta mas inexoravelmente na vida de Delphine: lê-lhe os pensamentos, adivinha-lhe os desejos e necessidades, termina-lhe as frases, torna-se totalmente indispensável – é a amiga ideal. Mas, aos poucos, veremos que ela isola Delphine, lhe lê os diários, a correspondência. Entra na vida da amiga de forma insidiosa, e nela permanece, apropriando-se de tudo. É aqui que há um volte-face na intriga – até agora muito perto do real – e numa possibilidade autobiográfica. Um livro apaixonante sobre relações de poder, sobre o papel do escritor e da literatura. Um jogo de espelhos complexo e hábil, sempre entre a realidade e a ficção.»

Recomendado para si

«Hoje Estarás Comigo no Paraíso», o regresso de Bruno Vieira Amaral... Bruno Vieira Amaral recebeu todos os prémios literários de prestígio em Portugal: o Prémio Saramago 2015, o Prémio Pen para Narrativa 2013, o Prémio F...
«1917 – o ano que mudou o mundo», de Angelo D’Orsi Chega amanhã às livrarias portuguesas «1917 – o ano que mudou o mundo», de Angelo D’Orsi, um livro que analisa os acontecimentos mais marcantes e dete...
«Regresso à Pequena Ilha», de Bill Bryson Regresso à Pequena Ilha, de Bill Bryson, já chegou às livrarias. O livro narra as aventuras de um americano em terras de Sua Majestade, com um tom des...
Os Ditadores, do historiador britânico Richard Overy Os Ditadores, que já se tornou numa referência e que, segundo o The Guardian, é «um livro que precisava de ser escrito», é uma arrepiante análise do p...
Gloria in Excelsis: As Mais Belas Histórias Portuguesas de Natal A reedição de «Gloria in Excelsis: As Mais Belas Histórias Portuguesas de Natal», antologia organizada por Vasco Graça Moura, encontra-se, a partir de...
O Código Da Vinci, de Dan Brown, agora adaptado ao leitor Young Adult O Código da Vinci, de Dan Brown, é um dos romances mais lidos de todos os tempos, e agora chega numa versão dirigida a um público mais jovem (young ad...