Home | Lazer | Exposições | O passado e o presente da porcelana chinesa

O passado e o presente da porcelana chinesa

Uma reflexão sobre a China contemporânea, a partir das tipologias tradicionais da sua cultura material e da experiência pessoal do designer português BrunoMMCarvalho, é o que propõe a exposição CHINAWARE que inaugura no Museu do Oriente a 15 de Setembro, às 18.30.

CHINAWARE apresenta dez projectos originais, entre objectos e instalações, que se traduzem em cerca de 25 peças, a par de fotografias e vídeos que documentam o processo criativo. A ideia de diálogo transparece ainda no design da exposição, que faz uso de mesas de ping-pong para apresentar as peças, materializando assim o jogo de flexibilidade e agilidade criativa levado a cabo pelo designer no terreno.

Foi a cidade de Jingdezhen, capital da porcelana na China desde os tempos imperiais, que inspirou BrunoMMCarvalho a desenvolver um conjunto de projectos que, reinterpretando as formas tradicionais, propõem uma abordagem contemporânea e de pesquisa aos processos de produção, explorando questões estéticas e técnicas, como a decoração, o acabamento e o fabrico em série.

Usados nas fábricas de Jingdezhen para assinalar defeitos de produção, os marcadores azuis são usados nas jarras Imperial Marker, para criar surpreendentes efeitos decorativos, semelhantes ao vidrado de azul-cobalto da porcelana chinesa imperial. O mesmo princípio norteia Dragon Marker, desta feita com marcador de cor vermelha, aplicado a figuras icónicas da revolução cultural, como parte de um busto de Mao.

Pondo em evidência o aspecto lúdico e a natureza contínua do processo de design, a peça The Great Vases consiste em dois vasos de quase dois metros de altura cada, que serão pintados por BrunoMMCarvalho ao longo da exposição. Pleasure Cups, uma série de objectos eróticos feitos com cerdas de pincéis de caligrafia, é mostrada juntamente com as figuras eróticas de porcelana que lhe serviram de inspiração, outrora parte da educação sexual chinesa.

De carácter experimental, as instalações reflectem criticamente sobre aspectos transversais da China contemporânea. Coal Porcelain apresenta um método de decoração por nuvens de pó de carvão geradas em estufa, que aderem à superfície brilhante de uma jarra. Coal Porcelain referencia, assim, os alertas de poluição atmosférica cada vez mais frequentes nas metrópoles chinesas.

Paralelamente à exposição, o designer explica, durante a conferência “ChinAware – O design como bagagem. Processos de criação em design nómada” (24 de Setembro) a abordagem singular na prática do design, resultante da sua percepção da China contemporânea depois de duas viagens realizadas com o apoio da Fundação Oriente para realização de trabalho de campo na cidade de Jingdezhen. Aqui, sem estúdio nem oficina, o trabalho empreendido por BrunoMMCarvalho pautou-se por um processo criativo orgânico, assente na experiência do quotidiano.

A exposição está patente até 27 de Novembro.

Check Also

“Eu Sou Dinamite! – A vida de Friedrich Nietzsche”

Eu sou Dinamite! – A vida de Friedrich Nietzsche, de Sue Prideaux, publicado em Portugal pela …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.