Home | Alimentação e bebidas | Mirabilis da Quinta Nova é o primeiro branco português entre os mais valiosos do mundo

Mirabilis da Quinta Nova é o primeiro branco português entre os mais valiosos do mundo

O Mirabilis Branco Grande Reserva Branco 2015, da Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo, é o primeiro vinho branco nacional a entrar para a distintiva lista dos melhores vinhos do mundo. Este vinho complexo e intenso atingiu os 96 pontos pelo prestigiado crítico Robert Parker, ao lado de nomes como Domaine de la Romané Conti, Chapoutier Hermitage, Guigal, Pape Clement ou o famoso Champagne Krug.

Para a administradora do projecto, Luísa Amorim, “é um enorme orgulho um vinho branco português ser finalmente reconhecido ao nível internacional na lista dos melhores do mundo, um pódio muito difícil de atingir que, por tradição, é atribuído aos franceses e só prova que realmente Portugal tem enormes potencialidades também em vinhos brancos”.

Este tipo de pontuações é sempre muito restrito a alguns produtores de renome internacional e anos de colheita considerados de eleição, como foi a vindima de 2015 no Douro. O Mirabilis Grande Reserva Branco 2015 é agora uma referência internacional com 96/ 94 pontos, patamar atingido pelos denominados grandes vinhos clássicos, profundos e de elevado carácter, com uma qualidade considerada “oustanding”.

Mark Squires, o provador de Robert Parker para Portugal refere a excelência deste vinho e sublinha a sua singularidade expressa pela sua consistência ao longo dos anos, aconselhando guardar e consumir entre 2017-2030. Segundo Jorge Alves, o enólogo da Quinta Nova, “este é um vinho com uma complexidade invulgar, com um equilíbrio entre a madeira e a fruta suave, mas profunda, que mostra alguma salinidade granítica e imensas especiarias como por exemplo cravinho. É um vinho tridimensional, tenso e de grande concentração, ao melhor nível do mundo”.

Lançado em 2011, o Mirabilis Grande Reserva Branco é um dos melhores vinhos no segmento premium da Quinta Nova Nossa Senhora do Carmo. Surgiu como resultado de um longo estudo da equipa em relação às potencialidades das castas brancas do Douro e de uma visita à Borgonha, prestigiada região francesa de onde provém os mais afamados vinhos brancos.

Este vinho contém mais de 70% de vinha velha, com mais de 85 anos de idade, a maioria proveniente de pequenos lavradores com produções entre os 500 e os 1500 kgs, assim como a seleção do melhor Viosinho e Gouveio que a quinta faz questão de reservar. Na origem da excelência deste vinho estão também as uvas plantadas acima dos 500 mts de altitude no Douro, aspecto que introduz a este vinho do Douro um travo mais fresco, mineral e fino.

O Mirabilis Branco Grande Reserva Branco 2015 estará disponível no final de Outubro, com um preço abaixo dos 40 euros, sendo sem dúvida um investimento valioso para os mais curiosos e aficionados.

VINDIMA 2016

A Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo já iniciou a sua vindima de 2016 no dia 5 de Setembro, com o corte da Tinta Amarela, seguindo-se a Tinta Barroca, Tinta Roriz e Tinta Francisca, estando já a vindimar a Touriga Nacional.

A vindima de 2016 prima por ser mais uma vindima completamente atípica. As chuvas ininterruptas que se verificaram durante os meses de Maio/Junho afetaram significativamente o desenvolvimento e evolução dos cachos, logo na fase inicial do ciclo vegetativo. A pressão dos vários tipos de míldio, a par da ineficiência das substâncias ativas e à fraca persistência verificada das mesmas pela forte pressão meteorológica levou a uma quebra muito significativa da produção.

Aliado a isto seguiram-se 2,5 meses de temperaturas elevadas e pluviosidade nula. No entanto, surpreendentemente, as uvas estão muito concentradas. Em todas as castas se verifica um reduzido peso dos cachos mas sanitariamente estão irrepreensíveis. A ver pelo que já existe na adega prevê-se uma excelente qualidade, com muita cor, finesse, elegância e estrutura.

Check Also

Cálem apresenta nova imagem para os vinhos do Porto

Numa altura em que comemora os 160 anos da sua fundação, em 1859, a Porto …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.