Vinhos Fiuza investem 1 milhão de euros na área da vinha

A empresa Fiuza & Bright, sediada em Almeirim desde 1985, nasceu da parceria entre Fiuza, uma família de secular tradição na viticultura, e o enólogo australiano de renome internacional, Peter Bright. Pioneiro no estudo das castas internacionais em solos portugueses, este produtor ocupa o 3.º lugar no ranking da região Tejo, com 11% de quota de mercado em valor, de acordo com a Nielsen Marketrack 2015.

Desde o ano passado que a marca adota a assinatura “Fiuza. Conhece-se pela Casta.”, de modo a dar primazia às castas e comunicar a verdadeira essência da marca, reforçando o caráter de especialista do produtor.

2016 simboliza uma nova etapa para os vinhos Fiuza, com o restyling da adega. Com 3.000 m², foi transformada em arte pelo graffiti dos artistas portugueses Francisco Camilo e Ivo SMILE, ao longo de 10 meses, simbolizando um rasgo de irreverência da marca.

Este restyling retratou, nas paredes interiores e exteriores da adega, temas relacionados com a arte do vinho: verdadeira arte mural e exemplo único na atividade vitivinícola, idealizada por umas das sócias da empresa, Maria Luiza Fiuza Guedes de Queiroz.

«A nossa adega é um duplo motivo de orgulho. Já o era pelo trabalho que temos vindo a desenvolver, dia após dia, e agora pela arte que contém, fruto do talento destes dois conceituados artistas que aceitaram o nosso desafio.», afirma Giovanni Nigra, da Fiuza & Bright. A partir de novembro é possível fazer uma visita guiada à cave e à adega, com prova de inúmeros vinhos.

No último ano a empresa faturou 2 milhões e 100 mil de euros e engarrafou 1 milhão de unidades. «Para dar uma resposta de qualidade à procura realizámos investimentos na área da vinha na ordem de 1 milhão de euros.», revela o produtor. O responsável destaca a replantação de 60 hectares e a atualização da nova linha de enchimento, que permitiu aumentar a capacidade de engarrafamento e de distribuição, sendo esta última da responsabilidade da PrimeDrinks em Portugal.

A gama Fiuza Monocastas é a mais vendida, especialmente Sauvignon Blanc e Chardonnay, duas castas reconhecidas internacionalmente que proporcionam vinhos de excelente qualidade no terroir da região Tejo. Seguem-se Fiuza 3 Castas Tinto e Branco, blends das castas internacionais com as melhores uvas nativas.

Os mercados de exportação representam cerca de 50% do volume de vendas, destacando-se a Suécia, a Alemanha, os EUA e a Polónia como os principais países.

Para o futuro está previsto investir na modernização, tanto nos equipamentos agrícolas, como em equipamentos de vinificação, ficando desta forma cobertas todas as áreas da empresa para a produção dos vinhos Fiuza.

Recomendado para si

Nasceu a Cerveja Trindade, uma obra de irmandade de Mestres ... A Hoppy House Brewing (HHB) acaba de lançar uma nova cerveja artesanal, a Trindade – uma Obra de Mestre! A Fábrica da Trindade, fundada em 1836, recup...
Kellogg’s apresenta Choco Krispies agora com 30% menos de a... Kellogg’s apresenta agora Choco Krispies com menos 30% de açúcares e um sabor igualmente delicioso. A nova receita vem com mais cacau premium, é rica ...
Uber Eats chega a Sintra A partir de hoje, o Uber Eats - aplicação de entrega de comida ao domicílio da Uber - está disponível no concelho de Sintra. A cobertura inicial do se...
Versão solidária da Algarve Chefs Week acontece a 1 de dezem... A Algarve Chefs Week, evento gastronómico anual, volta a reunir chefs de diversos hotéis de luxo do Algarve para a realização do tradicional Jantar So...
Como será a alimentação de um astronauta ou de um velejador?... Terceira edição da Semana da Cozinha Italiana no Mundo arranca já na sexta-feira em Portugal e pretende sublinhar a excelência do Made in Italy O arr...
Aguardente Mosca ressurge 30 anos depois Trinta anos depois, a José Maria da Fonseca relança a famosa e prestigiada Aguardente MOSCA, um ícone dos destilados criado em 1937. Esta Aguardente v...