84% dos portugueses associam viatura a poluição, mas isso não os impede de comprar

A preocupação ambiental não é um critério que os portugueses tenham especialmente em conta na hora de comprar um automóvel. Apenas 7% consideram este critério importante quando decidem adquirir uma nova viatura. No entanto, para 84% dos portugueses, automóveis e motos são sinónimo de poluição, um valor acima da média dos quinze países analisados (70%). Estas são algumas das conclusões do mais recente estudo do Observador Cetelem sobre o setor automóvel.

Questionados sobre várias dimensões associadas ao automóvel, a grande maioria dos portugueses refere que este é sinónimo de poluição. 58% concordam e 26% concordam completamente com esta afirmação, valores superiores à media dos quinze países. Apenas 16% dos automobilistas nacionais dizem não concordar que as viaturas são poluentes, em comparação com uma média geral de 30%. De modo oposto, são os japoneses (42%) e os alemães (51%) que menos associam poluição à viatura.

Conteúdo patrocinado

Apesar de considerarem a viatura um objeto poluente, o impacto ambiental é um critério que apenas 7% dos portugueses indicam como um dos três fatores mais importantes no momento da compra do seu veículo. São os italianos (17%) os que atribuem maior prioridade a este critério, enquanto a média dos 15 países se situa nos 10%.

«Neste momento, observamos que a preocupação ambiental ainda não é tão relevante para os portugueses como o preço ou o consumo de combustível na hora de comprar um veículo. No entanto, a associação entre viaturas e poluição, acompanhada por uma opinião bastante favorável sobre carros amigos do ambiente, são indicadores de que se está a desenvolver uma consciencialização ambiental em linha com as tendências atuais e futuras do setor automóvel», conclui Pedro Ferreira, diretor da área automóvel do Cetelem.

As análises e previsões deste estudo foram realizadas em colaboração com a empresa de estudos e consultoria BIPE (www.bipe.com). Os inquéritos quantitativos aos consumidores foram conduzidos pela TNS Sofres, em junho de 2016, em quinze países – África do Sul, Alemanha, Bélgica, Brasil, China, Espanha, Estados Unidos da América, França, Itália, Japão, México, Polónia, Portugal, Reino Unido e Turquia. No total, foram inquiridos mais de 8.500 proprietários de automóveis.

Recomendado para si

34% dos portugueses sabem o valor exato das suas despesas fixas mensai... No que diz respeito às despesas mensais, 34% dos consumidores sabem exatamente quanto gastam com os seus encargos fixos por mês, uma percentagem super...
Portugueses cada vez mais adeptos das novas formas de pagamento As novas formas de pagamento são usadas por cada vez mais portugueses, sobretudo jovens adultos. Segundo o estudo de Literacia Financeira do Cetelem, ...
Portugueses recorrem à família e ao banco em caso de dificuldades fina... Confrontados com a necessidade de pedir um empréstimo para enfrentar dificuldades financeiras, os portugueses optam por recorrer à família (45%) ou ao...
Dia do Consumidor: 8% dos portugueses acreditam não ter direito a recl... Questionados sobre outros aspetos dos direitos e deveres dos consumidores, menos de um décimo dos portugueses respondeu corretamente a questões relaci...
Preço do combustível não influencia a utilização do carro pelos portug... A evolução do preço do petróleo não tem consequências na utilização que 57% dos portugueses fazem do automóvel. Ainda que 43% dos condutores nacionais...
Mercado automóvel português é o que mais deve crescer em 2017 De uma forma global, o mercado automóvel apresenta um bom comportamento. Entre 2009 e 2015, o mercado mundial de automóveis particulares e de veículos...