15 °C Lisbon, PT
2018-11-20

TeCA: Este Pinocchio não é para meninos

Com encenação de Bruno Bravo, o espetáculo renuncia à versão infantil da história para se fazer emergir nas suas dimensões mais negras

Os contos de fadas para crianças, nas suas versões originais, têm sempre uma dimensão mais negra e humana do que aquelas adaptações que nos habituamos a ver no grande ecrã (e, muitas vezes, da responsabilidade da Disney). É precisamente a exploração dos tormentos da infância que seduziu Bruno Bravo a encenar Pinocchio, a partir da obra As Aventuras de Pinóquio, escrita por Carlo Collodi e publicada em 1883. Estreado em fevereiro do ano passado no Maria Matos Teatro Municipal, Pinocchio – eleito como um dos melhores espetáculos de 2016 pelo seminário Expresso – vai estar agora em cena no Teatro Carlos Alberto (TeCA), no Porto, entre 15 e 19 de março.

Pinocchio – que, na peça, é interpretado por Carolina Salles – conta-nos a história de um simples bocado de madeira que é oferecido a Geppetto (António Mortágua) e transformado numa marioneta maravilhosa, mas muito preguiçosa, desobediente e teimosa. Ao longo do conto, o boneco – que só quer ser um menino igual aos outros e integrar-se na sociedade – envolve-se em aventuras mirabolantes e um tanto quanto cómico-dramáticas, recorrendo muitas vezes à imaginação para compreender a realidade, como se de um recurso à sobrevivência se tratasse. A violência do crescimento e da infância é mesmo esta: perceber onde começa o mundo que imaginamos e o mundo em que vivemos e ajustar as expectativas dos outros em relação a nós mesmos.

Conteúdo patrocinado

A obra de Collodi, que já se tornou um “património” das várias gerações, faz também emergir reflexões importantes sobre a condição humana e sobre as relações, sejam elas entre pais e filhos, ou entre os Homens que se tentam organizar num mundo caótico. É, ainda, uma história sobre a importância de errar e sofrer para se alcançar a redenção – traduzida na eliminação do egoísmo e conquista da honestidade – que, no final, nos permite descobrir o que podemos ser.

Bruno Bravo, que também assumiu a tradução e adaptação de Pinocchio, transforma assim um texto não-teatral num espetáculo que caminha para o surrealismo com um coro de figuras e animais em ponto grande que representam as vozes do mundo. Diz o encenador que “as palavras querem, sempre, dizer mais do que o que dizem. Jogam-se as grandes verdades e as grandes mentiras e, como no teatro, misturam-se”. Este Pinocchio para maiores de 12 anos é uma coprodução Primeiros Sintomas e Teatro Maria Matos e pode ser visto de quarta a sábado, às 21h00, e no domingo, às 16h00. Os bilhetes podem ser adquiridos por 10 euros.

Recomendado para si

PédeXumbo celebra 20º aniversário com Festival em Évora A associação PédeXumbo celebra este ano 20 anos e para os comemorar vai realizar entre 23 e 25 de novembro, em Évora, o Festival “20 Anos PX, 20 Espaç...
8ª Edição Mercado Natal Campo Pequeno De 29 de Novembro a 2 de Dezembro, a arena do Campo Pequeno vai receber um Natal muito especial. Com uma selecção extensa de projectos e produtos 100...
Mickey celebra o seu 90º aniversário Neste domingo, dia 18 de novembro, o Mickey celebra 90 anos. A data comemora a sua primeira aparição, numa curta-metragem de animação: "Mickey Mouse: ...
Vencedor do Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce chega a 17 às loj... O Pingo Doce apresenta amanhã o livro "O Narciso com Pelos no Nariz, vencedor da 5ª edição do Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce, cuja autoria p...
“A Terapia da Luz” de Karl Ryberg Preocupadas em absorver os nutrientes certos, em dormir as horas necessárias e em cumprir prazos, a grande maioria das pessoas tem deixado cair no esq...
LEGO Fun Factory do MAR Shopping Matosinhos O mundo mágico de Harry Potter vai conquistar as crianças que visitem a LEGO Fun Factory do MAR Shopping Matosinhos entre novembro de 2018 e janeiro d...