15 °C Lisbon, PT
2018-12-12

Estudo analisa primeira fase de programa «365 Algarve»

Num estudo encomendado pela Região de Turismo do Algarve e desenvolvido pela Universidade do Algarve, constata-se que 84% dos residentes e 79% dos visitantes, que assistiram a eventos do programa cultural «365 Algarve» ficaram satisfeitos com a sua experiência e pretendem recomendar a iniciativa nos seus círculos mais próximos. A maioria viu as suas expectativas serem superadas, pretende participar em outros eventos do programa e considera o «365 Algarve» uma iniciativa inovadora, bastante diversificada e com eventos e espaços de excelência. Estas são as principais conclusões do estudo que visa aferir as preferências e o grau de satisfação e conhecimento do público que participa nos eventos do programa «365 Algarve», cuja primeira edição termina em maio de 2017.

A percentagem de participação nos eventos do programa «365 Algarve» é elevada: 54% dos residentes assistiram, em média, a dois eventos e 76% dos visitantes a, pelo menos, uma apresentação. As preferências recaem nos espetáculos musicais, de dança e teatro. A atratividade do programa, o gosto pelos eventos escolhidos e o gosto pela cultura foram os principais motivos que levaram tanto os residentes como os visitantes a participar. O facto de os eventos decorrerem perto dos locais de residência é um fator de relevo para os residentes enquanto para os visitantes pesou a possibilidade de usufruir de novas experiências no Algarve através de eventos diferenciadores.

De uma forma geral, os participantes solicitam maior diversificação, maior dispersão geográfica e maior divulgação antecipada dos eventos a decorrer. Horários mais ajustados é outra sugestão de melhoria deixada pelos inquiridos.

O estudo mostra ainda que o programa «365 Algarve» é conhecido tanto por residentes (70%) como por visitantes (57%). O logótipo foi visto por 61% dos residentes e 47% dos visitantes, enquanto os anúncios foram vistos por 57% dos residentes e 47% dos visitantes. Logótipos e anúncios são menos reconhecidos entre os visitantes, o que indica a necessidade de apostar numa maior promoção e divulgação em canais nacionais e internacionais, pois os visitantes acabam, de uma forma geral, por participar nos eventos sem planeamento prévio. As redes sociais, a Internet, os outdoors e os jornais e revistas são os meios pelos quais o público tomou conhecimento do programa.

Para os residentes, principalmente os estrangeiros, é importante destacar o papel da Associação de Proprietários Estrangeiros em Portugal (AFPOP) na divulgação das iniciativas do «365 Algarve».

De um modo geral, a génese do programa está clara na mente dos residentes e dos visitantes, com o público a associar o «365 Algarve» a música, dança e atividades culturais. As mensagens-chave do programa que visa divulgar e promover a cultura na região algarvia durante todo o ano também foram apreendidas pelo público.

Os stakeholders do programa consideram que o «365 Algarve» tem sido uma ótima oportunidade para incentivar e promover a criação artística e cultural do Algarve durante a época baixa, formando novos públicos na população algarvia assim como nos turistas nacionais e internacionais que visitam a região.

Para o desenvolvimento deste estudo, foram promovidos 1200 inquéritos (181 ao público, 314 a turistas e 314 a residentes) e oito entrevistas a stakeholders. A maioria dos inquiridos tem uma idade média de 53 e 46 anos (residentes e visitantes, respetivamente), e tem um nível de educação superior (65% e 73% respetivamente). Os residentes no Algarve têm nacionalidade portuguesa (53%), inglesa (26%), holandesa (5%) e alemã (4%) e provêm maioritariamente do centro e sotavento algarvios. Os visitantes são provenientes de Portugal (53%), – principalmente da região Centro (10%), da Área Metropolitana de Lisboa (26%) e da Região Autónoma da Madeira (10%) -, dos EUA, Reino Unido, Holanda e Bélgica.

«365 Algarve» é um programa cultural que complementa a oferta tradicional do Algarve com mais de mil apresentações de música, dança, teatro, exposições, animação de património, entre outras. A primeira edição decorre de outubro de 2016 a maio de 2017, sendo que já estão abertas as inscrições para a segunda fase do programa que decorrerá de outubro deste ano a maio de 2018.

Recomendado para si

Sustentabilidade ecológica e eficiência energética ganham peso em 2019... Em 2019 vão surgir mais iniciativas ligadas à sustentabilidade ecológica e à eficiência energética, com empresas e governos mais proativos em temas co...
60 a 70% dos diagnósticos de cancro do pulmão são feitos numa fase ava... Diagnóstico precoce é um dos grandes desafios na luta contra a doença Diagnosticar o cancro do pulmão nas suas fases mais precoces é o grande desafio...
Saúde e Beleza vão liderar a procura de espaço físico no retalho Os retalhistas vão continuar a optar por espaços físicos para abrir as suas lojas nos principais mercados de retalho durante os próximos cinco anos. D...
Mais tempo e menos esforço: é isto que pede o consumidor As mudanças sociológicas que temos vindo a assistir nos últimos anos trazem-nos um consumidor que pede mais tempo e menos esforço nas suas compras. A...
Grande Consumo em Portugal mais focado no preço do que na inovação A inovação mais relevante introduzida no setor do Grande Consumo em Portugal poderia ter gerado, entre 2013 e 2016, um PIB adicional na economia portu...
Empresas portuguesas abaixo da média europeia na aplicação de Inteligê... Acaba de ser apresentado o estudo "Inteligência Artificial na Europa", desenvolvido pela EY em nome da Microsoft, que revela que as empresas portugues...