«Odeio a Internet», o melhor mau romance da temporada

Jarett Kobek faz um retrato cruel, sarcástico e hilariante de uma sociedade dominada, libertada e envenenada pela Internet.

O cenário: a Califórnia da atualidade, as grandes empresas tecnológicas, o mundo dos comics e das «sexualidades alternativas», a competição por um lugar no Twitter ou por um like no Facebook, as fortunas dos donos da Amazon ou da Google. E uma série de perguntas incómodas simples: porque é que o ativismo do século XXI não passa de uma série de lições de moral digitados em computadores que não passam de dispositivos construídos por escravos?

Como pudemos permitir que esse gigantesco universo de «redes sociais», comentários instantâneos, gritaria, ameaças, vaidade fotográfica, ódio às mulheres, notícias falsas ou tweets idiotas que inundam a Internet se transformassem nas armas dos novos escravos – seres infelizes cuja maior alegria é causar infelicidade aos seus semelhantes?

Neste seu primeiro romance, Jarett Kobek explica com detalhe e de maneira hilariante como a CIA financiou o romance do século XX ou como funciona a «economia política das redes sociais» onde os ricos ganham dinheiro incessantemente e todos abdicam dos direitos inteletuais em benefício do Instagram ou do Facebook. Kobek faz um retrato hilariante e obsceno de uma sociedade de fracos – dependentes de um post – que alimentam constantemente a supremacia dos poderosos.

Hipócrita, feminista, cru e inteligente, Kobek apresenta uma fábula útil na qual mostra como somos vítimas do boom digital, e na qual expõe as consequências de se ser dispensável ou descartável num mundo novo e cruel: «Este mau romance, que é uma lição de moral sobre a Internet, foi escrito num computador. Estão a experimentar a indignação moral de um escritor hipócrita que lucrou com as vantagens da escravatura.»

Sinopse:
Neste romance hilariante, a Internet é um mundo obsceno e deprimente: as personagens vivem dependentes de uma fotografia no Instagram e de um post no Facebook, bem como dos seus próprios ódios, indignações, pregações morais e armadilhas estendidas com perfídia e crueldade. Como foi possível aceitarmos um mundo em que aplaudimos e endeusamos os líderes das grandes empresas que enriquecem à custa dos fracos e dos ingénuos, ao mesmo tempo que abdicamos da nossa liberdade, dos nossos direitos e da nossa intimidade? Como pudemos permitir que esse gigantesco universo de «redes sociais», comentários instantâneos, gritaria, ameaças, vaidade fotográfica, ódio às mulheres, notícias falsas ou tweets idiotas que inundam a Internet se transformassem nas armas dos novos escravos – seres infelizes cuja maior alegria é causar infelicidade aos seus semelhantes? «Odeio a Internet» é um romance cínico, cómico, paranoico, justiceiro, feminista, inteligente e cruel. Impossível parar de ler.

Sobre o autor:
Jarett Kobek é um escritor norte-americano de ascendência turca. Vive na Califórnia. É um humanoide canibal habitante do submundo (C.H.U.D.) da literatura internacional. O seu primeiro romance, Odeio a Internet, foi publicado ou tem publicação prevista em sete idiomas.

Recomendado para si

RALPH VS INTERNET, o próximo filme de animação da Disney Neste especial, será possível ver o encontro de Vanellope com as princesas da Disney e também com a personagem Shank (voz de Gal Gadot na versão origi...
Canon é reconhecida com quatro distinções da EISA Awards 201... Eleitos por um painel de jurados que representam 53 revistas internacionais de tecnologia oriundos de 23 países europeus – assim como da Austrália, Ín...
Dell EMC reforça aposta em 100 Gigabit Ethernet Dell EMC reforça aposta em 100 Gigabit Ethernet para os mais modernos Data Centers abertos Nova estrutura de switches Z-series garante 2x mais capaci...
Gateway apresenta novas câmaras de vigilância panorâmicas A série PanoVu da Gateway disponibiliza câmaras capazes de filmar em alta definição com visão de 180º e 360º. Em grandes áreas, como superfícies come...
Porto recebe exposição “UNESCO Green Citizens” a partir de 2... O Jardim Botânico do Porto e a Galeria da Biodiversidade – Centro Ciência Viva do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto vão ...
O outono em Vale do Lobo com concerto de fado “Amália ... Vale do Lobo irá receber o outono ao som da formação musical Al-Mouraria num novo e inesquecível concerto no Auditorium de Vale do Lobo, no dia 22 de ...