6 °C Lisbon, PT
2019-01-18

«Odeio a Internet», o melhor mau romance da temporada

Jarett Kobek faz um retrato cruel, sarcástico e hilariante de uma sociedade dominada, libertada e envenenada pela Internet.

O cenário: a Califórnia da atualidade, as grandes empresas tecnológicas, o mundo dos comics e das «sexualidades alternativas», a competição por um lugar no Twitter ou por um like no Facebook, as fortunas dos donos da Amazon ou da Google. E uma série de perguntas incómodas simples: porque é que o ativismo do século XXI não passa de uma série de lições de moral digitados em computadores que não passam de dispositivos construídos por escravos?

Como pudemos permitir que esse gigantesco universo de «redes sociais», comentários instantâneos, gritaria, ameaças, vaidade fotográfica, ódio às mulheres, notícias falsas ou tweets idiotas que inundam a Internet se transformassem nas armas dos novos escravos – seres infelizes cuja maior alegria é causar infelicidade aos seus semelhantes?

Neste seu primeiro romance, Jarett Kobek explica com detalhe e de maneira hilariante como a CIA financiou o romance do século XX ou como funciona a «economia política das redes sociais» onde os ricos ganham dinheiro incessantemente e todos abdicam dos direitos inteletuais em benefício do Instagram ou do Facebook. Kobek faz um retrato hilariante e obsceno de uma sociedade de fracos – dependentes de um post – que alimentam constantemente a supremacia dos poderosos.

Hipócrita, feminista, cru e inteligente, Kobek apresenta uma fábula útil na qual mostra como somos vítimas do boom digital, e na qual expõe as consequências de se ser dispensável ou descartável num mundo novo e cruel: «Este mau romance, que é uma lição de moral sobre a Internet, foi escrito num computador. Estão a experimentar a indignação moral de um escritor hipócrita que lucrou com as vantagens da escravatura.»

Sinopse:
Neste romance hilariante, a Internet é um mundo obsceno e deprimente: as personagens vivem dependentes de uma fotografia no Instagram e de um post no Facebook, bem como dos seus próprios ódios, indignações, pregações morais e armadilhas estendidas com perfídia e crueldade. Como foi possível aceitarmos um mundo em que aplaudimos e endeusamos os líderes das grandes empresas que enriquecem à custa dos fracos e dos ingénuos, ao mesmo tempo que abdicamos da nossa liberdade, dos nossos direitos e da nossa intimidade? Como pudemos permitir que esse gigantesco universo de «redes sociais», comentários instantâneos, gritaria, ameaças, vaidade fotográfica, ódio às mulheres, notícias falsas ou tweets idiotas que inundam a Internet se transformassem nas armas dos novos escravos – seres infelizes cuja maior alegria é causar infelicidade aos seus semelhantes? «Odeio a Internet» é um romance cínico, cómico, paranoico, justiceiro, feminista, inteligente e cruel. Impossível parar de ler.

Sobre o autor:
Jarett Kobek é um escritor norte-americano de ascendência turca. Vive na Califórnia. É um humanoide canibal habitante do submundo (C.H.U.D.) da literatura internacional. O seu primeiro romance, Odeio a Internet, foi publicado ou tem publicação prevista em sete idiomas.

Recomendado para si

MSC Cruzeiros é Cinco Estrelas pelo segundo ano consecutivo A MSC Cruzeiros foi distinguida com o Prémio Cinco Estrelas 2019, pelo segundo ano consecutivo na categoria “Cruzeiros”, passando assim a integrar um ...
Iguarias e Vinhos do Tejo à prova em 58 restaurantes durante o mês de ... A comida e o legado báquico são indissociáveis à boa mesa portuguesa! Com esse pressuposto, a Comissão Vitivinícola Regional do Tejo e a Confraria Enó...
smart promove test drive pop-up no Capitólio Com o objetivo de premiar aqueles que querem ser os precursores da condução elétrica, a smart vai promover no próximo dia 19 de janeiro, sábado, um te...
Forum Algarve contribui para a reflorestação de 25 Hectares na Serra d... Resultado da campanha solidária deste Natal, o Forum Algarve, centro gerido pela Multi Portugal, prepara-se para, em parceria com a Câmara Municipal d...
FNAC abre no Dolce Vita Tejo A FNAC da cidade da Amadora será composta por 1.000 m²de área total (e 815m² de área comercial) e vai contar com uma oferta de 18.000 referências. À o...
Nosso Shopping passa a ter Super Programa todos os dias O Super Programa do Nosso Shopping, que inclui um bilhete paras um filme em exibição e jantar, já é conhecido dos visitantes do Centro Comercial, mas ...