Chef Alexandre Silva leva o mar português ao mundo no Madrid Fusión

É já no próximo dia 22 de Janeiro que Alexandre Silva será um dos representantes da cozinha portuguesa num dos mais importantes palcos da gastronomia mundial: o Madrid Fusión, que decorre de 22 a 24 de Janeiro, e que este ano, pela primeira vez, tem um espaço dedicado a Lisboa e à interpretação moderna da confecção do peixe. O chef do LOCO vai lá estar juntamente com Henrique Sá Pessoa e João Rodrigues, todos eles protagonistas da nova cozinha portuguesa, que vive um momento único de inventividade e expansão.

Este convite surge na sequência da visita de José Capel, criador e e director do Madrid Fusión, a Lisboa para assistir ao III Simpósio Sangue na Guelra, em Maio último. Durante a sua estadia em Lisboa, a convite da organização do Sangue na Guelra, José Capel, que também é jornalista e critico gastronómico do El País, teve oportunidade de conhecer o trabalho e os restaurantes dos três cozinheiros, que partilharão o palco do evento.


Pub

A qualidade e a irreverência do trabalho do chef Alexandre Silva e do LOCO levaram-no a desafiar o cozinheiro português a estar presente na que é uma das plataformas mais desejadas pelos melhores e mais prestigiados profissionais de cozinha de todo o mundo. Esta é já a 16ª edição do Madrid Fusión, que acontece anualmente em Espanha. Este ano, o tema global será ‘Quarta Geração: os donos do futuro’.

“O Madrid Fusión é um dos eventos com maior impacto a nível mundial na área da gastronomia. Participar nele é poder apresentar o LOCO aos grandes nomes desta área, chefs que conhecemos, de quem falamos pelo seu grandioso trabalho, e que nos inspiram a fazer mais e melhor, todos os dias”, refere Alexandre Silva, que acrescenta: “É um reconhecimento também para a nossa equipa e um sinal de que todo o nosso trabalho e dedicação nos estão a levar para o caminho certo”.

Sobre o que irá acontecer no dia 22 de Janeiro, no Palácio de Congressos, em Madrid, Alexandre Silva revela que, para além da palestra, irá também apresentar um prato que “reflecte a forte influência marítima sobre a cultura e a gastronomia nacionais”. Mas para o mentor do LOCO o grande tema é Portugal: “Irei falar muito sobre nós enquanto país, a nossa história, quem somos, de onde viemos e para onde queremos ir”

E o que levar na bagagem quando o propósito é representar a nossa gastronomia e mostrá-la ao mundo? O chef é peremptório: “O melhor do nosso país, uma cozinha genuína de produto português e ainda um passado com história numa versão modernizada”.

Artigos relacionados