“Pecados Santos” de Nuno Nepomuceno

Nas comunidades judaicas de Londres e Lisboa, ocorre uma série de homicídios, todos recriando episódios bíblicos. Atos bárbaros de antissemitismo ou de pura vingança?

Um rabino é encontrado morto numa das mais famosas sinagogas de Londres. O corpo, disposto como num quadro renascentista, representa o sacrifício do filho de Abraão, patriarca do povo judeu.

O caso parece encerrado quando um jovem professor universitário a lecionar numa das faculdades da cidade é acusado do homicídio. Descendente de portugueses, existem provas irrefutáveis contra si e nada poderá salvá-lo da vida na prisão.

Mas é então que ocorrem outros crimes. Estarão ou não estes acontecimentos relacionados? Poderá o docente vir a ser injustamente condenado?

Abordando temas fraturantes da sociedade contemporânea como o antissemitismo e o conflito israelo-árabe, e inspirando-se nos Dez Mandamentos e noutros episódios marcantes do Antigo Testamento, Pecados Santos guia-nos através das ruas históricas de Londres, Lisboa e Jerusalém, numa viagem intimista e chocante sobre o que de mais negro e vil tem a condição humana.

O autor – Nuno Nepomuceno

Em 2012 venceu o Prémio Literário Note! com O Espião Português, o seu primeiro romance. Seguiram-se A Espia do Oriente e A Hora Solene, com os quais concluiu a trilogia Freelancer, ambos publicados em 2015, o mesmo ano em que integrou a coletânea Desassossego da Liberdade com o conto «A Cidade». Em 2016 lançou A Célula Adormecida, o primeiro thriller psicológico da carreira. Já foi n.º 1 do top de vendas de livros policiais em lojas como a Fnac, Bertrand, Wook e Amazon. Notabilizado pela sua narrativa elegante, Pecados Santos assinala o seu regresso ao thriller psicológico.