40% dos doentes interrompem medicação prescrita

O estudo Current Situation of Medication Adherence in Hypertension, da autoria de vários investigadores europeus, concluiu que, num grupo de 16.907 indivíduos medicados para várias patologias, quase 40% dos participantes interromperam o tratamento ao fim de 1 ano.

Em Portugal, a baixa adesão ao tratamento é responsável por um inadequado controle da pressão arterial nos doentes hipertensos. De acordo com o presidente da Sociedade Portuguesa de Hipertensão, Dr. Carvalho Rodrigues, “é crucial promover terapêuticas e posologias simples e, simultaneamente eficazes, para aumentar a taxa de adesão ao tratamento. Cada vez mais temos de pugnar por associações de várias substâncias activas reunidas num só comprimido. Simples e eficaz traduz-se num acréscimo de adesão.”

A baixa adesão à terapêutica tem também consequências a nível económico. Os investigadores afirmam que cerca de 8% das despesas globais de saúde poderiam ser evitadas pela adesão à terapêutica.


Pub
  • Estudo: Current Situation of Medication Adherence in Hypertension,
  • Publicação: 1 de Março de 2017

Investigadores:

  • Bernard Vrijens – WestRock Healthcare, Visé, Belgium / Department of Public Health, University of Liège, Liège, Belgium
  • Sotiris Antoniou – Barts Health NHS Trust, London, UK
  • Michel Burnier – Department of Nephrology and Hypertension, University Hospital Lausanne, Lausanne, Switzerland
  • Alejandro de la Sierra – Internal Medicine Department, Hospital Mutua Terrassa, University of Barcelona, Barcelona, Spain
  • Massimo Volpe – Department of Clinical and Molecular Medicine, Faculty of Medicine and Psychology, University of Rome “La Sapienza”, Rome, Italy / IRCCS Neuromed, Pozzilli, Italy

Artigos relacionados