Univer. Europeia e IPDAL desafiam finalistas com programa CITS Roots 4

A Escola de Turismo e Hospitalidade da Universidade Europeia e o IPDAL – Instituto para a Promoção da América Latina e Caraíbas -, apresentam, no dia 15 de março, pelas 16h30, no Campus da Lispolis, o programa CITS Roots 4 que pretende promover e potenciar o desenvolvimento sustentável na América Latina.

O programa CITS Root 4 tem como objetivo o desenvolvimento de projetos em quatro domínios – economia, educação, eficiência e colaboração (boas práticas) -, que têm como fundamento quatro dos 17 objetivos do Convénio do Millenium para um Mundo mais equitativo, em países emergentes da América Latina e Caraíbas – Argentina, Colômbia e Cuba – onde a autenticidade e o potencial turístico existem, mas estão pouco desenvolvidos e onde a sustentabilidade deve ser o mote de desenvolvimento regional e hoteleiro.

O desafio é lançado aos 120 estudantes finalistas de Gestão Hoteleira e de Turismo da Escola de Turismo e Hospitalidade da Universidade Europeia e pressupõe a definição de programas de turismo voluntário de educação; o desenvolvimento de estudos de viabilidade económica e social identificando os impactos do projeto em termos de emprego e de geração de riqueza, projetos capazes de melhorar a eficiência dos Sistemas de Produção e Consumo, numa perspetiva sustentável, e trabalhos que tenham como pressuposto a implementação de boas práticas ambientais bem como levar as estes três países a criatividade e a inovação.


Pub

O projeto desenvolve-se ao longo do segundo semestre de cada ano letivo e em três fases. Agora, com o início do segundo semestre, realiza-se a sessão de lançamento de desafios que reúne embaixadores dos países participantes, estudantes e professores.

A segunda fase pressupõe o desenvolvimento das ideias em ambiente escola, com o apoio dos docentes, entidades privadas e entidades públicas. Termina com a discussão do relatório por um júri designado para o efeito, constituído por docentes da escola, para serem apresentados às entidades intervenientes. Serão considerados aptos os projetos com nota superior a 14 valores e que respeitem a estrutura definida.

Na terceira fase os estudantes apresentam os projetos a uma comissão designada pelo IPDAL e pelos países intervenientes na primeira quinzena de junho.

Ao longo de todo o projeto os estudantes contam com o apoio de docentes, entidades públicas e privadas e dos países em estudo (Argentina, Colômbia e Cuba) que colaboram com o projeto quer na disponibilização e recolha de dados como no acompanhamento tutorial do projeto.