Turismo de qualidade reflete-se na reestruturação das cidades

O turismo em Portugal tem crescido de forma sustentada e a atestá-lo está, nomeadamente, o registo de um milhão de visitantes só em janeiro, afirmou o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, na sessão de abertura do Summit Shopping Tourism & Economy Lisbon 2018, um evento que se realiza pela primeira vez em Portugal para debater o fenómeno do turismo de qualidade e de compras.

“O impacto do crescimento do turismo não se limita aos hotéis, às companhias aéreas e às vendas nas lojas, vai muito além disso. Reflete-se na reestruturação das nossas cidades e influencia também o crescimento regional”, frisou. Manuel Caldeira Cabral enumerou ainda aspetos da estratégia que tem permitido a obtenção dos bons resultados, tendo salientado, nomeadamente: “queremos diferenciar o turismo português valorizando o património”. Destacou, ainda, uma outra medida que irá simplificar as compras dos estrangeiros que visitam Portugal e que passa pela entrada em vigor do eTax Free. “Trata-se de um incentivo às compras dos estrangeiros e, simultaneamente, uma forma de os receber melhor”, disse.

Lisboa é, hoje em dia uma capital global, com prestígio internacional, que está a ser redescoberta e o grande desafio passa, agora, por manter esta tendência, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, salientando a necessidade de preparar a cidade para os novos desafios que se adivinham.


Pub

Com este objetivo, Fernando Medina citou quatro aspetos a ter em conta, o primeiro dos quais diz respeito à capacidade aeroportuária, sobre a qual, sublinhou, terá que ser tomada uma “decisão urgente”. Em segundo lugar disse que Lisboa pretende continuar a atrair investimento privado, em terceiro citou a necessidade de acompanhar o investimento público, que permite prosseguir com a requalificação da cidade, e, em quarto, garantir a sustentabilidade do turismo, mantendo-o compatível com a vida da cidade. “Lisboa é hoje uma capital global, que goza de reconhecimento internacional prestigiante. Lisboa evoluiu muito e a prova é, precisamente, a realização do Summit Shopping Tourism & Economy Lisbon 2018”, destacou.

Dimas Gimeno, presidente do El Corte Inglés, começou por recordar que refletir sobre o turismo é pensar numa indústria fundamental para a economia global e para a economia dos países. É falar de uma atividade próspera, com grandes perspetivas de crescimento e geradora de riqueza em muitos setores, que não apenas o do turismo. Declarou, a propósito, que 2018 é o ano europeu do turismo chinês, um mercado de enorme potencial para as marcas europeias em geral e para as marcas portuguesas e espanholas em particular. Dados da Eurostat, referentes a 2017, revelam que 130 milhões de chineses viajaram por todo o mundo, 257 mil dos quais por Portugal.

“Estamos perante uma oportunidade que não podemos desperdiçar: o turismo procedente de mercados longínquos. Para isso, devemos potenciar a promoção das nossas cidades como destino turístico, as ligações aéreas e a agilização dos vistos”, disse.

Gloria Guerava Manzo, presidente & CEO do World Travel & Tourism Council (WTTC) destacou, igualmente, o bom momento que o turismo português atravessa. “Portugal está a registar resultados turísticos ótimos”, disse, acrescentando que este sucesso é extensível a muitos outros setores de atividade. Referiu, ainda, que o turismo de qualidade e compras é um fenómeno em ascensão, e que, contrariamente ao que se passava há alguns anos, hoje em dia há pessoas que viajam especificamente para fazer compras.

Quanto a Portugal, que em 2017 registou um aumento de 36% em tax free shopping, declarou que a questão que se coloca, perante os resultados atuais, é definir estratégias que permitam continuar esta tendência, sobretudo pela via do bom relacionamento entre entidades públicas e privadas.

João Vasconcelos, presidente do Comité Organizador do Summit Shopping Tourism & Economy Lisbon 2018, salientou, por sua vez, o facto de o evento pretender ser o primeiro passo na melhoria da capacitação do turismo de qualidade e compras para Portugal e para Lisboa em particular.

“No ano passado, 20,6 milhões de estrangeiros estiveram em Portugal, onde despenderam 15.100 milhões de euros”, disse, adiantando que os turistas extracomunitários gastam em compras num dia o mesmo que os europeus gastam numa semana. Contudo, são ainda 12% do total de turistas que visitam o país, mas representam 21% das receitas turísticas nacionais.

Ao longo do dia serão ainda debatidos temas como “Desafios: Compras, Cultura e Mobilidade”, “A Qualidade da Oferta Gastronómica”, “Cidades como Marcas Globais” e “O regime Tax Free na promoção do Turismo em Portugal”. Estarão igualmente em destaque as “Tendências no Imobiliário Turístico e Hoteleiro” e “A governação turística e a colaboração público-privada”. A sessão de encerramento decorrerá com as presenças de Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo e de João Vasconcelos, presidente do Comité Organizador.

A primeira edição do Summit Shopping Tourism & Economy Lisbon 2018 prevê uma análise à situação atual do Turismo de Qualidade e de Compras em Portugal, bem como apresentar caminhos numa estratégia público-privada para a criação de modelos sustentáveis que permitam ao país e às suas cidades ganhar mais escala e competitividade nesta atividade com potencial para captar mais turistas.

Artigos relacionados