Ministro da Economia visita Fábrica da Coca-Cola em Azeitão

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, visitou hoje a Fábrica de Azeitão da Coca-Cola European Partners (CCEP) por ocasião da celebração do 40º aniversário do início da produção em Portugal da mais famosa bebida refrescante do mundo.

O ministro salientou o contributo que esta unidade da CCEP tem dado nas últimas décadas para a dinamização da economia regional e nacional, afirmando que ” a Fábrica da Coca-Cola entrou em Portugal com a liberdade e isso é simbólico da abertura do país ao exterior, porque se trata de um projeto que persiste ainda hoje e contribui para dar eficiência à produção e distribuição num sector muito exigente”.

Rui Serpa, Country manager da empresa em Portugal, fez um enquadramento da presença da CCEP ao longo das últimas quatro décadas: “Desde a chegada da Coca-Cola ao nosso país que a marca quis afirmar-se como empresa de referência, iniciando desde logo a sua expansão em Portugal, através do lançamento de novos produtos, adaptando-se à evolução das exigências dos consumidores e promovendo um consumo cada vez más responsável.” “Hoje somos um importante motor da economia portuguesa, pelo emprego que geramos – 5.560 empregos diretos e indiretos, pela capacidade de produção e inovação e também pelo envolvimento na sociedade. Contamos no nosso portfolio em Portugal com 12 marcas, 49 produtos e 124 referências, sendo que atualmente as bebidas com baixas calorias e sem açúcar representam já 28% das nossas vendas em Portugal.”, afirmou o responsável. Na ocasião, Rui Serpa anunciou um investimento global da marca em Portugal na ordem dos 120 milhões de euros, distribuídos pelos próximos cinco anos.


Pub

A Coca-Cola European Partners aproveitou a visita do Ministro da Economia para apresentar alguns dados do estudo de impacto que a atividade da cadeia de valor da Coca-Cola tem na economia e na sociedade portuguesa. Este estudo, realizado pela consultora independente Steward Redqueen, analisou os dados financeiros e não financeiros da Coca-Cola em 2016, a atividade dos escritórios e da fábrica da Coca-Cola em Portugal, bem como a atividade dos seus fornecedores de produtos e serviços, distribuidores e estabelecimentos comerciais (hotelaria, supermercados e lojas). Toda esta informação evidencia o efeito multiplicador das atividades da Coca-Cola em Portugal.

Coube a Márcio Cruz, Diretor Relações Externas e Comunicação da CCEP em Portugal, a apresentação de alguns dos dados que realçam o impacto da atividade da Coca-Cola no nosso país: “Beber Coca-Cola contribui para a economia portuguesa – temos esta unidade aqui em Azeitão, que integra oito linhas de produção e produz 250 milhões de litros anualmente. Aliás, 90% dos produtos vendidos em Portugal são produzidos nesta unidade.” “O impacto económico da atividade da Coca-Cola, através de toda a cadeia de valor, aporta 237 milhões de euros à economia portuguesa, o que representa 0,13% do PIB nacional. Em 2016, a Coca-Cola gerou 124 milhões de euros de impostos para o Estado português, o que significa que 0,20% da receita fiscal em Portugal está relacionado com a atividade da Coca-Cola” concluiu.

Por fim, afirmou que “a CCEP mantém o compromisso de continuar a investir na inovação e na reformulação de produtos de forma a adaptar-se continuamente aos gostos e hábitos dos consumidores portugueses.”

Após uma visita às instalações fabris, o ministro da Economia descerrou uma icónica garrafa “contour” em grandes dimensões decorada pelo artista visual Miguel Caeiro, a.k.a. RAM. Além deste exemplar nº1 que fica na unidade de Azeitão, a Coca-Cola tem vindo a oferecer exemplares desta obra a todos os distritos de Portugal Continental e às duas Regiões Autónomas, como forma de agradecimento a todo o país pelo enorme reconhecimento obtido pela marca desde que chegou a Portugal.

Artigos relacionados