BIC lança coleção exclusiva de isqueiros do escritor José Luís Peixoto

No âmbito do projeto de apoio e divulgação de artistas, BIC Artist, que visa sensibilizar e promover a arte e a cultura em Portugal, a icónica marca convidou o escritor José Luís Peixoto a desenvolver uma coleção exclusiva de 8 isqueiros com textos da sua autoria inspirados no fogo.

O projeto BIC Artist visa apoiar artistas nacionais e sensibilizar e promover a arte e a cultura em Portugal. Já abordamos, em edições anteriores, a moda (com Ricardo Preto) e a escultura (com David Oliveira), para o projeto de 2017 fez nos todo o sentido associar o programa a esta forma de arte: a escrita. José Luís Peixoto surgiu naturalmente como um dos autores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea, o encontro perfeito da Literatura com a BIC.

A BIC Collection by José Luís Peixoto apresenta oito frases do autor sobre a sua interpretação do fogo. Personificando-o quando fala a pentear as suas chamas, ou sobre os sentimentos do fogo quando se sente nostálgico com as pessoas à sua volta na lareira e ainda os seus comportamentos quando fica com a boca a arder depois de a beijar. Uma forma diferente de sentir e compreender o fogo. Fogo que todos temos em nós, que todos vamos sentindo, às vezes mais ardente, outras vezes menos. Fogo que por vezes aquece e outras vezes queima.

As oito frases de José Luís Peixoto que compõe esta coleção são: “Nesse dia longínquo, muito assustado, o fogo descobriu o homem”; “Ao espelho, o fogo penteava as chamas e preparava-se para a noite”, “Às vezes, o fogo achava que o estavam a confundir com outro, mas nunca estavam”, “Ninguém sabia o que fazer. Então, tímido, o fogo disse: talvez eu possa ajudar”, “Quando soube tudo o que diziam sobre ele, o fogo chorou”, “O fogo apaixonou-se, encantado ardeu sem se ver”, “Em certas noites de lua cheia, com toda a gente sentada à sua volta, o fogo sentia-se nostálgico” e por fim “Depois de beijá-la, o fogo ficou com a boca a arder”.

A BIC Collection by José Luís Peixoto chega ao público durante o mês de março, de norte a sul do país, depois de ter sido feito um evento de lançamento da mesma no dia da Poesia, 21 de março, na livraria Ler Devagar no LX Factory.

“Sempre defendi que a escrita pode ir ao encontro das pessoas, pode estar presente e ser publicada em qualquer lado, assumindo as especificidades do contexto. Nenhum suporte lhe está vedado. Ou seja, sempre defendi que a escrita pode estar até nas caixas de fósforos, como costuma dizer-se.
Graças a um convite da BIC, tive a sorte de poder escrever para uma coleção de isqueiros, que já está a circular. Espero que achem divertidas estas frases, espécie de versos ou microcontos, onde o fogo é sempre o protagonista.” José Luís Peixoto.

Recomendado para si

ViaCatarina Shopping convida-o a sonhar No Dia Mundial do Sonho, o ViaCatarina Shopping relembra a importância de nunca deixarmos de sonhar! Como diria o poeta, “o sonho comanda a vida” e, p...
Grupo Fidelidade doa 36 mil livros a Cabo Verde O Grupo Fidelidade doou a Cabo Verde 36 mil livros, através da sua participada Garantia Seguros, numa cerimónia que se realizou na Biblioteca Nacional...
Espetáculos para toda a família regressam ao Braga Parque Em Setembro regressa ao Braga Parque a programação de espetáculos para toda a família. As artes performativas voltam a estar em destaque no Braga Parq...
A origem do mal, segundo Agualusa «Instantes antes do ataque havia pássaros a cantar entre a folhagem. Se abrisse os olhos veria a terra vermelha e o verde muito vivo do capim. Assim, ...
Filme sobre Snu Abecassis estreia a 7 de março As primeiras imagens do filme sobre Snu Abecassis foram hoje divulgadas com a distribuição do trailer da história desta mulher que “revolucionou” Port...
The Pitch Market começa amanhã em Belém e cria “Cidade do De... Começa já esta quinta-feira, a 4ª edição do The Pitch Market que regressa a Lisboa, até 23 de setembro, com um novo formato e uma nova localização. O ...