Jardim Zoológico transfere Okapi para França

Beni, a fêmea lisboeta de apenas 2 anos, passou por três países – numa viagem de mais de 1.400km – para juntar-se à sua “cara-metade”, o macho Obasi, nascido no Zoo de Stuttgart, em 2011, com quem formará casal. A transferência de Beni, filha de Faraa, nascida no Zoo de Antuérpia, na Bélgica, e de Jamar, oriundo do Marwell Zoo, no Reino Unido, é realizada de acordo com as normas internacionais que regulam o processo de preparação e o transporte, sendo analisadas diversas variáveis como a idade, a maturidade sexual, a genética do animal, bem como a distância entre Zoos.

Com uma população total estimada entre 35.000 e 50.000 indivíduos no mundo, o Okapi está atualmente classificado como “Em Perigo” pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). Apesar dos contínuos esforços levados a cabo por diversas Instituições em programas de conservação in situ, a desflorestação para a exploração de madeiras e minérios e para a agropecuária, a caça ilegal para a obtenção de carne e pele, e as guerrilhas armadas decorrentes da instabilidade política vivida no Congo ameaçam a sobrevivência desta espécie, que se encontra já extinta em algumas regiões Africanas.

Através da investigação científica, educação, financiamento e implementação de medidas de conservação – como a transferência de animais para outros Zoos, a fim de evitar as consequências negativas da consanguinidade e garantir a viabilidade genética das espécies comprometidas – o Jardim Zoológico assume um papel fundamental para a sobrevivência de diversas espécies em vias de extinção. No caso específico do Okapi, o programa de conservação in situ é financiado por todos os Zoos da Europa, Estados Unidos e Ásia que possuem a espécie nas suas instalações.


Pub

Artigos relacionados