17 °C Lisbon, PT
2019-03-26

Crasto Branco, Tinto ou Rosé?

A Quinta do Crasto, produtor de vinhos e azeites no Douro, acaba de lançar as novas colheitas Crasto Branco 2017, Crasto Tinto 2016 e Crasto Rosé 2017. Com perfil moderno e elegante, estes vinhos partilham a missão de expressar as várias facetas do terroir do Douro, reforçando o seu potencial para a produção de vinhos de elevada qualidade e aptidão gastronómica.

Sedutores e descomplicados, estes vinhos assumem-se como os cúmplices perfeitos da gastronomia contemporânea, revelando uma surpreendente versatilidade na mesa e no copo. Pelo seu perfil fresco e aromático, adaptam-se com facilidade a diferentes momentos de consumo, acompanhando o ritmo dos sabores de primavera.

O Crasto Branco 2017 apresenta-se como uma memória viva de uma vindima que ficaria para a história da Quinta do Crasto como a mais precoce de sempre, marcada por condições climatéricas atípicas. A experiência da equipa de enologia da casa foi chamada a intervir, através de um acompanhamento rigoroso em toda a vindima. O resultado foi uma colheita excecional, surpreendendo a própria região, com uvas de excelente concentração de sabores e perfeita acidez.

Pub

Elaborado à base de Viosinho, Gouveio e Rabigato, as castas brancas tradicionais do Douro, este vinho caracteriza-se pela cor citrina brilhante e pela explosão aromática ao primeiro contacto. Com notas de frutos tropicais, a fazer lembrar maracujá fresco, acompanha na perfeição os pratos típicos da estação como grelhados, mariscos ou petiscos leves.

Igualmente resistente às condições adversas da colheita de 2017, surge a segunda edição do Crasto Rosé, o elemento mais novo da família da Quinta do Crasto. Um vinho refrescante, equilibrado e com grande potencial gastronómico, acompanhando pratos leves e delicados como saladas, carnes brancas ou mariscos e peixes, mas também para pratos mais desafiantes e complexos, não perdendo brilho com especiarias ou temperos mais apurados.

Fiel aos atributos únicos das castas tradicionais do Douro que o compõem – Tinta Roriz, Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Barroca – e com a particularidade de não estagiar em madeira, o Crasto Tinto 2016 afirma-se com um dos principais cartões de visita do produtor. Com uma envolvente frescura e aroma de frutos silvestres, revela uma estrutura elegante e final persistente. É a escolha perfeita para os dias mais frescos da estação, acompanhando pratos mais complexos à base de carnes vermelhas e especiarias.

Com o certificado de garantia da Quinta do Crasto, estes vinhos estão prontos para celebrar os momentos de descontração da nova estação, estando já disponíveis no mercado. A distribuição é exclusiva da Heritage Wines.

Recomendado para si

Restaurante Intimista inova e apresenta a Alentejaninha A francesinha passou pelo Alentejo e trouxe com ela os secretos de porco preto, enchidos da região e claro, o pão alentejano para o restaurante Intim...
VINUM: como se escolhe o prato perfeito para cada vinho? As novas provas harmonizadas do VINUM Restaurante & Wine Bar têm como objetivo mostrar algumas das melhores combinações entre gastronomia e vinho...
Gin e vinho bebem o nome do monte que dá vida a este projeto alentejan... O gin artesanal e os vinhos do Monte da Bica ganharam vida em Lavre, num Alentejo que inspirou e desafiou três empreendedores a apostarem neste proje...
Confraria celebra aniversário com fusão de sabores do Japão e Ocidente... A Confraria celebra 11 anos de existência e sucesso com uma nova carta e um rebranding. Utilizando ingredientes de elevada qualidade, inspirados ...
Margão anuncia as Tendências de Sabores para 2019 Há duas décadas que o guia Tendências de Sabores, divulgado pela Margão, identifica e promove as tendências de sabores emergentes. “The Need for see...
Tradição e sabor genuíno com Nova Açores Queijo Ilha Fatiado O queijo Ilha Fatiado Nova Açores, produzido na bela ilha de São Miguel, na Unileite, surpreende com um aroma e sabor forte e limpo, perfeito para sa...