‘Co(R)doniz Patagónica’ é a grande novidade da nova carta do Volver de Carne Y Alma

A nova carta do Volver de Carne Y Alma vestiu-se, uma vez mais, de intensidade e de sabores arrojados, para trazer o melhor da gastronomia argentina para a mesa. Mantendo o requinte – também ele de autor – que se assume como a sua assinatura, o passaporte do restaurante gerido por Alexandra Gameiro apresenta-se agora sob a forma de um Almanaque, que só pode ser carimbado com os cinco sentidos em alerta, fervorosamente apaixonados pela fusão de texturas e de aromas.

Deixe-se desarmar e parta para o corte da suculenta carne, deixando-se envolver pela voluptuosa dança de talheres com o parceiro de caça ideal: a ‘Co(R)doniz Patagónica’, inspirada no tradicional ‘Co(R)dero Patagónico’, servida com batatas de argila, kumkwats, noisette, aroma de cordeiro e chimichurri. Servido num prato especificamente criado pela ‘Malga’ que pretende, de acordo com a gestora do espaço, “recriar em ‘nano’ escala os fantásticos assados do grandioso cozinheiro argentino Francis Mallmann”.

O Guanaco, um camelídeo da família dos lamas e das alpacas, é outra das escolhas mais exóticas ao nível das carnes, sendo servido, nesta nova ementa, com salsa crioula em ‘Panes a la chapa’ – a sua outra versão é recheada com truta marinada, ricotta fumada e salada de funcho.

Poderoso e intensamente apetecível, assim se insurge uma das grandes novidades desta carta que guarda a chave da selva do prazer de comer: o Porco Alentejano (Porco Preto cruzado com Duroc), Paleta e Cachaço, fumados a baixa temperatura e finalizados na grelha, prometem fazer as delícias dos palatos mais arrojados.

Também a lista de entradas sofreu uma adição: as tradicionais, mas com um toque de contemporaneidade assumidamente singular, as ‘Mollejas’ de vitela, confecionadas em duas texturas, laminadas e fritas, e acompanhadas com ‘carpaccio de tomatillo’ e pickles de physalis.

Já no capítulo da ‘Picada’, uma das secções do cardápio onde os clientes se demoram, há três visitas que vieram para ficar: ‘O nosso Arroz de Polvo’, a Barriga de Porco Crocante, Favas e Pomelo Y Tártaro de Maronesa, Beterraba e Rabanete.

Não poderíamos rematar de outra forma. Este é o final feliz de um movimento que se quer magnetizante e profundo, tal como as águas de um oceano de excêntricos temperos: o regresso dos pratos de peixe, depois de cinco anos guardados na sua gruta de tesouros marítimos. Aqui, André Pires arroga a simbiose da cozinha portuguesa com a da América do Sul: Cavala marinada levemente fumada, Quinoa, Maçã Verde, Funcho e Escabeche de Couve Roxa.

Razões não faltam para volver uma, e outra vez, à porta 5D da Rua Luís de Freitas Branco, em Lisboa, e viajar até a um outro continente, sem sair do lugar.

Recomendado para si

Beefeater marca presença em festivais de verão Beefeater vai estar presente em mais dois festivais, neste verão, com um contentor decorado pela marca, na qual os visitantes poderão usufruir de cock...
Embaixador da China em Portugal visita o Super Bock Group O Embaixador da China em Portugal visitou a fábrica do Super Bock Group, no passado sábado, durante a qual ficou a conhecer o processo de produção da ...
Deliciosos sabores no HeyMate do CascaiShopping O CascaiShopping dá as boas vindas ao mês de agosto com os famosos gelados de rolinho, HeyMate. Com uma loja temporária no Centro, esta é uma gelatar...
Marco Costa revela segredos para doces sobremesas de verão n... Marco Costa conhece bem o valor de um segredo – aquele que nunca se revela. Afinal, foi um dos mais queridos concorrentes da “Casa dos Segredos”, prog...
“Hápetite” é o novo restaurante de Faro com cart... "Hápetite" é o novo restaurante de Faro que tem uma carta desenvolvida pelo Chef Augusto Gemelli e promete colocar o Algarve à mesa. Com um espaço sof...
Red Frog nomeado para Melhor Bar da Europa pela Mixology O bar 'speakeasy' Red Frog, em Lisboa, está nomeado para Melhor Bar Europeu, nos Mixology Bar Awards de 2019. Esta prestigiada revista, constituída po...