Miguel Laffan at Atlântico tem frescura, qualidade e muita portugalidade

Uma sala redecorada, muito mais ampla, luminosa e confortável; um menu feito de raiz, pleno de referências ao mar, ‘democrático’ e eclético; toda uma nova filosofia para um ambiente sofisticado mas familiar e acolhedor, e o mar, mais próximo do que nunca, a encher a sala, o coração e o olhar, a inspirar a vida nova de um dos espaços mais bonitos e bem localizados de Estoril, Cascais — eis o novo Atlântico Bar & Restaurante, no Intercontinental Estoril, sonhado, pensado e criado pelo chef Miguel Laffan e pela sua equipa.

O regresso a casa

“Provocado” pela administração do hotel para recriar o antigo Atlântico e fazer do restaurante um espaço à sua medida, Miguel Laffan não teve dúvidas: “Aqui, quero dar tudo o que aprendi nos últimos anos… Regresso mais rico, muito grato, mais maduro e experiente. A minha equipa e eu optámos por um conceito honesto, onde só queremos fazer as pessoas felizes”, diz o chef sobre este novo desafio profissional. Assim é o novo Atlântico: um “restaurante Miguel Laffan”, desde a sua génese até ao mais ínfimo detalhe; um projecto total e integrado, em que o chef trabalhou não apenas a carta, mas todo o conceito, desde a reorganização do espaço, à decoração, passando pelos vinhos e pelo serviço.

Do Mariscador de Cascais, passando pelo Peixe do Atlântico, ao Do Talho para a Grelha

O menu, com um adn muito nacional, explora a proximidade do mar e a relação de Laffan com pescadores, produtores e fornecedores locais: muitos deles amigos da sua infância, com quem jogou à bola na rua. Quase todo o peixe e mariscos vêm da Costa do Sol e de Peniche, mas também se dá um salto a Setúbal. No primeiro capitulo, o Mariscador de Cascais, destacam-se a Gamba branca ao natural (16€), os Percebes das Berlengas (18€) e o Lingueirão na chapa com alho e coentros (14€). Segue-se o Atlântico Twist, com propostas um pouco mais exóticas, como o Tártaro de atum, o original (16€), o Tom Yam Kum de lavagante (18€) e os Camarões ao alho nobre com chili e coentros frescos (16€). O terceiro capitulo, Pasta e Risotto, traz massa fresca e sabores mediterrânicos à mesa, com Tagliatteli de marisco com molho de champanhe e açafrão (26€) e Risotto de espargos verdes com parmesão de 12 meses (22€).

Para os gostos mais clássicos, não falta a cozinha de conforto, no capitulo Peixe, com Polvo à lagareiro (26€) ou Bacalhau confitado em azeite com grão, ovo e cebola picada e salsa (26€). O chef regressa ao mar, com o Peixe do Atlântico, onde propõe Salmonetes de Setúbal braseados com molho Atlântico (30€), Pregado com molho de caril e manjericão (30€) e Robalo da linha com molho à francesa (30€). Por fim, Do talho para a grelha, apresenta Presa de porco ibérico (28€), Vazia de novilho com 30 dias de maturação (30€) e Costeletas de cordeiro (30€). No derradeiro capítulo, o das sobremesas (todas a 6€), da autoria da equipa de pastelaria da casa, o Ninho de chocolate e as Texturas de framboesas e pistácio partilham a página com o Brownie de chocolate e avelã o Créme brûlée de maracujá e a Mousse de queijo Chévre com mel e alfazema.

Com um menu democrático e transversal, mas não demasiado extenso, o novo Atlântico by Miguel Laffan, apresenta uma cozinha simples, de produto local e nacional, acessível e prazerosa: sabores autênticos, típicos ou mais contemporâneos, cujo denominador comum é a identidade de cada estilo e de cada prato, “sem fusões ou revisitações”.

A Equipa: pessoas experientes e dedicadas, que partilham o ‘coração Miguel Laffan’

Para o acompanhar neste desafio, o cozinheiro rodeou-se de uma equipa experiente e da sua confiança, “pessoas que conhecem e partilham o coração Miguel Laffan”. O seu braço direito, o chef Executivo, é o Duarte Batista, com quem trabalha há vários anos no L’And, em Montemor, que será apoiado por cozinheiros com quem Miguel trabalhou noutros projectos. A equipa de pastelaria mantém-se, por ser “extraordinária e dedicada”.

Mas ninguém conhece o coração de Miguel Laffan como Kikas Lagoa, a sua mulher e brand manager, que cuidou da decoração e do ambiente do Atlântico: no novo espaço reinam agora o conforto e a elegância em azuis, verdes marinhos e bege, num espaço requintado, mas discreto, inspirado na vista deslumbrante sobre o Oceano Atlântico.

Miguel Laffan

Natural de Cascais, Miguel Laffan ficou conhecido por ter colocado o Alentejo no palco dos destinos premium da gastronomia, quando, em 2011, aos comandos da cozinha do L’And, em Montemor-o-Novo, ganhou a sua primeira estrela Michelin, e a primeira (e única) estrela do Guia Vermelho para a região. Antes, tinha passado pela Fortaleza do Guincho, então sob a consultoria do chef Antoine Westermann, 3* Michelin. Dali, foi para o Le Jardin des Remparts, de Roland Chanliuad (Beune, França, 1* Michelin) e a seguir para o Le Clous de la Violette, de Jean-Marc Banzo (Aix-en-Provence, França, 2* Michelin). Do seu currículo fazem ainda parte, já como chef Executivo, o Hotel Casa Velha do Palheiro (Funchal) e o Hotel Quinta da Casa Branca (também no Funchal), até ingressar no L’And Vineyards, onde virou, literalmente, uma página na gastronomia nacional.

Recomendado para si

Miguel Laffan at Atlântico tem os almoços mais portugueses d... Ainda o Verão não tinha arranjado lugar por cá quando, em Junho passado, o chef Miguel Laffan regressou à zona que o viu crescer, para se instalar no ...
Chef Miguel Laffan no World Gourmet Festival em Bangkok Festival gastronómico no Anantara Siam Bangkok Hotel tem a participação de onze chefs Estrela Michelin, de oito países, ao longo de sete dias, sendo q...