Home | Entrevista | Estela Rocha e Maria Silvestre – Direção da APP Production Partners

Estela Rocha e Maria Silvestre – Direção da APP Production Partners

Exposição Energisers mostrou as caras atrás da energia

1. A APP Production conseguiu a proeza de apresentar uma exposição, a Energisers, no mesmo espaço e tempo que a WPP o que lhe deu uma janela de exposição muito maior do que à partida teria. Como é que isso foi conseguido?

A nossa missão na APP é fazer acontecer. Como para tudo na vida, muitas coisas se alinharam. Um cliente muitíssimo bom (Galp), uma agência do nosso grupo que criou um bom conceito, a Visão que foi um parceiro extraordinário com uma equipa fabulosa. E nós, agarramos e agilizamos tudo isto num tempo “record”. Fizemos acontecer.
A APP tem esta coisa muito boa: uma equipa profissional com coragem de fazer acontecer de acordo com as necessidades e exigências do cliente. No fundo, funcionámos como um aglutinador de vontades. E aconteceu. Ficámos muito felizes porque na verdade superou todas as expectativas. O nosso dia a dia é cheio destas coisas. Mas, em produção, muitas vezes o trabalho de bastidores não se vê. A verdade é que nada existe se não se fizer acontecer.

2. Como foi o processo de organização e de coordenação com um evento das dimensões e requisitos da WPP?

A organização do WPP vem através da Visão. A exposição corre o mundo e este ano o primeiro sítio foi Lisboa. Apesar de vir tudo bem organizado, foi um orgulho coordenar os vários parceiros envolvidos, produzir a decoração do espaço e ajudar a dar vida a esta fantástica exposição no nosso país.

3. Para quem não viu a exposição, como é que era a Energisers e qual era a história que a exposição pretendia contar?

A exposição Energisers era sobre pessoas. Retratava profissionais da Galp que, a partir de Portugal, Espanha, Moçambique e Brasil, asseguram a energia necessária para garantir que o mundo não pára. Era mostrar às pessoas que todos os dias criam energia na GALP. E as histórias das suas vidas, a maneira como trabalham, os tempos livres, o que gostam de fazer… este foi o tema da exposição. A verdade é que as marcas também se distinguem pelas suas pessoas.

4. A exposição vai ser apresentada em mais algum lado? Quando e por quanto tempo?

Não temos indicação disso, mas acreditamos que possa ser usada em outros momentos.

5. Qual é o balanço que fazem do projecto? Os resultados foram os esperados?

A primeira palavra: Alegria, depois orgulho. Durante os quatro fins de semana de maio, a exposição teve cerca de 20.000 visitas. Mas o melhor foi ver o público a contemplar a exposição. De facto, a fotografia tem este impacto. É o momento e isso faz-nos parar. Esperamos que este projeto nos permita fazer tantos outros.

Check Also

Existe espaço para crescer em novos nichos de mercado

Entrevista Vasco Malveiro, administrador da JLD A completar 15 anos no mercado português, a Jean …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.