40% do volume de Cerveja é consumido nos meses de Verão

Mais de 3 em cada 4 lares consomem Cerveja

  • A categoria das Cervejas representa 1.094 milhões de euros e mais de 5% o total da faturação dos pontos de venda dos Bens de Grande Consumo.
  • No último ano móvel, findo a abril de 2018 teve um crescimento de 4% em valor.
  • No canal Horeca – Restaurantes, Snacks e Cafés, Bares, Hotéis e Fast Food – as Cervejas são a categoria mais relevante (809 milhões de euros), com um crescimento de 4%.
  • Mais de 40% do volume de cerveja é consumido nos meses de junho a setembro, sendo as condições climatéricas um dos fatores que mais influencia o seu consumo.

No próximo dia 3 de agosto comemora-se o dia mundial da Cerveja. A Nielsen foi analisar a categoria que continua a demonstrar ser uma das categorias mais dinâmicas, atingindo, no último ano móvel, vendas totais de cerca de 1.094 milhões de euros nos canais de Retalho, apresentando um crescimento de 4% em valor. Também no canal Horeca (Restaurantes, Snacks e Cafés, Bares, Hotéis e Fast Food) é a categoria mais relevante, com 809 milhões de euros em vendas totais e um crescimento de 4%.

Tiago Aranha, Client Development Manager da Nielsen, refere que “as condições climatéricas são um dos fatores que mais influenciam o consumo de cerveja. A Cerveja é um negócio sazonal e prova disso é o fato de mais de 40% do volume de cerveja ser consumido nos meses de junho a setembro. As razões do aumento de consumo prendem-se certamente por fatores como melhores condições climatéricas, período de férias para muitos portugueses, realização de inúmeras festas populares e aumento da presença de turistas assim como o regresso dos emigrantes.”

Conteúdo patrocinado

O que mudou no consumo de Cerveja nos últimos anos?
O dinamismo desta categoria tem-se verificado essencialmente no seu crescimento em valor, sustentado essencialmente pelo driver preço. Os consumidores estão atualmente mais disponíveis para o consumo fora de casa, e mais especificamente em atividades de entretenimento. Este comportamento vem assim justificar o crescimento da categoria no canal Horeca.

Outra tendência visível nesta categoria é o facto de os consumidores estarem mais propensos às experiências de consumo, procurando assim degustar novos produtos. Esta tendência justifica também o crescimento baseado no aumento de preços, que se verificou nas cervejas ditas mainstream. A criação de valor da categoria também se justifica pelo facto do mercado de Cervejas ter uma maior oferta de produtos ditos artesanais ou oriundos de outros países, que, embora ainda com pouca expressão, têm em média um preço mais elevado.

O crescimento do consumo dentro do lar tem como origem uma maior penetração e um maior número de atos de compra. As Cervejas conseguiram chegar a mais 65 mil lares, o que corresponde a 77% do total de lares. Por outro lado, a categoria foi comprada 9 vezes no último ano (uma vez a cada 40 dias) e os consumidores gastaram em média 5,1€ por visita.

Recomendado para si

As Cápsulas vieram revolucionar o mercado dos Cafés O Café tem sido nos últimos anos uma das categorias mais dinâmicas, atingindo no último ano móvel um total de vendas de cerca de 302 milhões de ...
Chocolates aumentam 8% no Dia dos Namorados Em 2017 as vendas de Chocolates neste período aumentaram 8% face ao homólogo, tendo sido vendidos 3 085 084€ na semana do Dia dos Namorados Bombons e...
Consumo de cerveja em crescimento 2017 apresenta todas as condições para ser o ano com os maiores crescimentos da última década No dia 4 de Agosto assinala-se o Dia Internacional da C...
Produtos Nacionais, a primeira escolha dos portugueses? No passado dia 26 de abril comemorou-se o dia da produção nacional, uma data que tem como objetivo sensibilizar a população portuguesa para a importân...