The Pitch Market começa amanhã em Belém e cria “Cidade do Design”

Começa já esta quinta-feira, a 4ª edição do The Pitch Market que regressa a Lisboa, até 23 de setembro, com um novo formato e uma nova localização. O Terreiro do Paço deu lugar a Belém e os contentores marítimos foram substituídos pelas Pitch Stores, construídas propositadamente para o evento, criando desta forma uma verdadeira Cidade do Design à beira rio. Durante os quatro dias, estarão presentes mais de meia centena de marcas portuguesas de design de equipamento e decoração e a organização espera receber mais de 120 mil pessoas. Da iluminação aos têxteis para a casa, passando pela ilustração e pela cerâmica, até ao mobiliário e gadgets, no The Pitch Market é possível encontrar peças que vão desde os cinco euros aos três dígitos.

“Nesta edição, vamos ter marcas que nos acompanham desde o início, outras que regressam e também marcas novas, que vêm de todas as zonas do país, incluindo as ilhas. Acreditamos que a junção do novo formato – a Cidade do Design – com a nova localização – ao lado do Padrão dos Descobrimentos – vai marcar uma nova era na vida do The Pitch Market e no processo de democratização do design e da decoração feitos em Portugal”, afirma Tiago da Costa Miranda, responsável pela iniciativa.

Contando novamente com a coorganização da Câmara Municipal de Lisboa, o evento terá a decorrer em paralelo uma exposição de design intitulada “Electro: Domésticos & Revolucionários”, uma coleção privada de “equipamentos para casa” dos anos 60 e 70, além de outras atividades promovidas por alguns dos participantes como workshops, apresentações de marcas, ilustrações ao vivo, entre outras atividades totalmente gratuitas que preencherão os quatro dias de evento.

The Pitch Market é a montra do design nacional

O jovem Adolfo Mendonça de Ponta Delgada é um dos designers que estará presente no The Pitch Market, pela primeira vez. Com grande inspiração no mar do arquipélago dos Açores, Adolfo consolida os seus conhecimentos no design com as técnicas artesanais da cerâmica num estilo minimalista e ao mesmo tempo arrojado.

A já mais conhecida Musgo do Porto, que nasce após três anos no Brasil, da Margarida e do Rui (os seus fundadores) e que quando regressam a Portugal em 2016, restauram uma vacaria para estúdio e criam a MUSGO, procura soluções práticas de design assentes na sustentabilidade e simplicidade, respeitando as características e história da madeira reutilizada de casas antigas portuguesas.

De Loulé, o Projeto Tasa tem como missão trazer inovação à atividade artesanal afirmando-a como uma profissão de futuro e, por isso, aposta no design como uma via para elevar as artes tradicionais do Algarve, mantendo a sua utilidade e matriz cultural, conseguindo assim resgatar técnicas ancestrais ameaçadas de extinção.

Mas no The Pitch Market também há marcas com maior dimensão, como é o caso da prestigiada e quase centenária Ivo Cutelarias da Benedita (uma empresa que está no topo mundial do design de cutelarias) ou a estreia da Clube Home, que é a nova aposta do popular Cubfashion para a área de casa e decoração.

Pitch Stores, a primeira criação do The Pitch Market

Com a quarta edição do The Pitch Market chegou também a altura de tornar o evento mais maduro e com uma imagem própria. “O formato dos contentores marítimos tinha bastantes limitações, pelo que procurámos uma alternativa que se enquadrasse no nosso ADN ligado ao Design e à arquitetura de Interiores e daí apresentarmos agora a primeira criação do The Pitch Market: a Pitch Store”, explica Tiago da Costa Miranda.

As Pitch Stores foram concebidas tendo por base uma arquitetura modular e, por isso, são completamente desmontáveis e reutilizáveis. Esta é uma arquitetura efémera, mas que vai ser a imagem de Marca do evento. As Pitch Stores, tendo as formas de casas, vão formar a Cidade do Design.

O The Pitch Market Lisboa 2018 é um evento aberto ao público, com entrada gratuita, que decorrerá entre as 10h e as 20h nos dias 20, 21, 22 e 23 de setembro.