Um livro que ensina Economia a quem não percebe nada de Economia

Com prefácio do economista Francisco Louçã e posfácio da jornalista de economia Helena Garrido, A Economia das Coisas é um livro que não tem a pretensão de discorrer sobre a História da Economia, mas sim a ambição – e consegue-o com sucesso e de forma muito clara – de desconstruir a ciência e teoria económicas sobre as coisas. Mas que coisas? As coisas de que nos rodeamos no dia-a-dia.

Para Paulo Pinto, autor deste livro, «não há temas impossíveis ou inexplicáveis, e a Economia não pode nem deve fugir à regra». Então: Pode o dinheiro comprar felicidade? Deve o rendimento ser a única medida para avaliar o bem-estar de um indivíduo? A felicidade tem uma relação direta com a prosperidade de um país? De onde vem a expressão «não há almoços grátis»? A famosa afirmação de que «a mãe tem sempre razão» tem de facto algum fundo de verdade em termos económicos? De que forma é que o Estado fixa os impostos?

Paulo Pinto pode ter chumbado a Economia no primeiro ano da licenciatura em Ciências da Comunicação, mas a sua vontade e curiosidade em perceber como funciona a economia das coisas levou-o a uma pós-graduação em Investimentos e Mercados Financeiros e mais tarde a um mestrado em Economia e Políticas Públicas, conhecimentos esses que lhe permitiram criar o programa de rádio A Economia das Coisas, na Renascença. Agora, esse conhecimento resulta num livro, onde se pode ler e reler todas as curiosidades e explicações sobre como funciona a Economia e qual o impacto que tem nas nossas vidas.​