Centro Galego de Lisboa recebe exposição Body’s In The City de Ivone Gaipi

A escultora, Ivone Gaipi, inaugura, a 9 de setembro, a exposição Body’s In The City, no Centro Galego de Lisboa em parceria com o pintor e fotógrafo Yves Badyh Al-Dahdâh. A artista irá apresentar o trabalho desenvolvido a longo dos últimos meses que resultaram em 9 esculturas inéditas e que comunicam a integração do corpo citadino e as suas infinitas transmutações.

Na exposição “Body’s in the City”, o visitante perceberá a simbiose existente entre as esculturas urbanas da escultora e a fotografia de Yves Al-Dahdâh, sendo esta a sua primeira mostra em terras lusitanas, e que acompanhará a artista com 12 fotografias da sua série “Estruturas Urbanas”.

Sob uma linguagem muito própria, Ivone Gaipi, artista portuense que se mudou para Lisboa há 6 anos, é pioneira na sua abordagem ao Body Casting, em Portugal. As suas peças são desenvolvidas com base nos detalhes da nossa pele, aportando a cada escultura uma singularidade única e peculiar.

Porém, nos últimos anos encontra-se numa viagem de expansão dos seus conhecimentos para técnicas diferentes e com uma expressão mais focada na escultura e na pintura.

Uma personificação de cada emoção humana transposta para o dia-a-dia em que vivemos: frenético, instantâneo, e algumas vezes sob-valorizado no que toca à condição humana per se. “Body’s in the city aborda a figura humana na sua imersão interior, no Universo do sentir.

Da qual resulta um conjunto de esculturas que manifestam os estados de alma, através das quais se fundem no corpo que o rodeia. Para além do corpo, do que emerge de dentro, do que transparece para fora, através da sobreposição, das camadas do espírito, do corpo que vive na cidade e do retrato que mostra a evidência desta dimensão. O expressionismo figurativo que transmuta a forma, e demonstra os estados emocionais da minha caminhada pela descoberta da forma, para além do corpo, da expressão para além volume, da harmonia, para além do belo.”, sustenta Ivone Gaipi.

Já a sua curadora, Olga Maria e Sousa, reforça a importância do elemento surpresa com a peças que a artistas apresentará na exposição, partilhando: “Ivone Gaipi que vos irá surpreender com os corpos imaginários dentro das cidades.”, afirma.

O seu papel principal, em cada peça que concebe, tem como base a materialização das estórias de todos nós, eternizando-a numa peça que emana momentos, sentimentos e emoções.

Check Also

Exposição imersiva pop-up de Flávia Junqueira invade o Teatro Tivoli BBVA

Os icónicos cenários criados pela artista Flávia Junqueira, imortalizados em formato fotográfico, ganham vida no …