Convento do Beato vai incluir um condomínio residencial com mais de 60 apartamentos

O quarteirão do Convento do Beato está a ser totalmente requalificado para integrar, além do icónico espaço de eventos, um novo condomínio residencial denominado Beato Quarter. Depois de intervencionar a área do Convento destinada ao centro de eventos, cuja reabertura ocorreu em 2021, o grupo Larfa Properties vai requalificar os edifícios circundantes para acolher este condomínio com 61 apartamentos e uma praça central com um jardim que unificará todo o quarteirão.

O Beato Quarter vai disponibilizar apartamentos T1 a T5, todos com estacionamento privativo e ponto de carregamento para veículos elétricos. A fase de vendas deste novo condomínio tem início hoje e vai ser dinamizada pelas consultoras JLL e Porta da Frente, em regime de co-exclusividade.

Patrícia Barão, Head of Residential da JLL, antecipa uma excelente dinâmica de vendas do Beato Quarter: “Trata-se de um projeto irrepetível que vai requalificar, com grande qualidade, um património histórico de Lisboa, permitindo que este faça de novo parte da vida ativa da cidade. Será um condomínio com apartamentos com áreas acima da média e com todas as comodidades modernas de topo, beneficiando ainda da proximidade ao rio Tejo e da implantação numa zona da cidade que está em forte valorização”.

“O Beato Quarter é um exemplo em como a arquitetura e design têm cada vez mais relevância nos projetos imobiliários, oferecendo diferentes opções de estilo de vida aos seus residentes. Os 3 conceitos exclusivos deste novo empreendimento – Arch, Brick e View – permitem vivências diferenciadas e totalmente adaptadas às exigências dos nossos clientes, seja para viver ou investir. Trata-se de um produto de grande qualidade que vem revitalizar uma região cada vez mais desejada”, afirma Rafael Ascenso, diretor geral da Porta da Frente Christie’s.

O Beato Quarter distribui-se por cinco edifícios independentes originalmente de diferentes usos e idades, os quais serão agrupados em três conceitos diferentes. O grupo Brick é constituído por 3 edifícios, sendo um construído de raiz e, os outros dois, resultado da regeneração dos antigos edifícios dos Limpadores e dos Ensacadores. Este conjunto, com 36 apartamentos, distingue-se pela presença de tijolo na fachada e a preservação do caráter industrial do edificado, com os edifícios a comunicarem entre si e a marcarem um ritmo forte na estrutura do condomínio. Por sua vez, o grupo Arch, com 5 apartamentos, nasce da requalificação de um edifício de estilo romântico de cantarias ornamentadas, preservando os distintos arcos em alvenaria de pedra. O grupo View terá 20 apartamentos e dá nova vida ao antigo edifício da moagem, um raro exemplo de património industrial onde se evidencia o contraste dos pilares em ferro com as vigas em madeira.

Outro argumento de peso do novo condomínio residencial é a sua envolvência. A zona do Beato, parte do eixo Oriental de Lisboa, tem despertado especial interesse dos investidores quer para o desenvolvimento de propostas residenciais inovadoras, quer para a implantação de novos conceitos comerciais, culturais, artísticos e de trabalho, como é o caso do HUB Criativo do Beato. Ponto de ligação entre o centro da cidade e o Parque das Nações, o Beato está em forte consolidação urbana e distingue-se ainda pela sua posição privilegiada na frente ribeirinha.

Check Also

Dyson lança WashG1™ o primeiro aspirador da Dyson destinado ao pavimento molhado

A Dyson revela a sua mais recente tecnologia de cuidado de pavimentos, concebida para proporcionar …