Meatless Farm e Real Madrid unidos em prol da alimentação sustentável

Missão conjunta, que impulsionará iniciativas de sustentabilidade e nutrição, representa mais um passo na rápida expansão da empresa

O Real Madrid acaba de se associar à Meatless Farm – uma das empresas de alimentos à base de vegetais com um crescimento mais rápido na Europa e que acaba de entrar no mercado português – numa missão conjunta para ajudar a promover uma alimentação mais sustentável em todo o mundo, através da educação e da chamada para a ação. A parceria entre a empresa e este gigante do futebol mundial visa desenvolver um plano de trabalho conjunto para aumentar a consciencialização sobre a importância da redução do consumo de carne para diminuir o impacto ambiental dos alimentos, assim como inspirar alterações no que à saúde e bem-estar diz respeito.

Os nutricionistas do clube espanhol trabalharão em conjunto com a Meatless Farm para demonstrar como alimentos elaborados à base de plantas podem ser incorporados numa dieta concebida para potenciar a performance desportiva. Neste âmbito, os jogadores do Real Madrid irão partilhar as suas experiências de redução do consumo de carne e aumento da ingestão de alimentos de origem vegetal para demonstrar os benefícios ambientais e as vantagens a nível de desempenho pessoal. A parceria surge depois de o Real Madrid se ter tornado no primeiro clube de futebol a aderir ao United Nations Global Compact – a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo.

Sustentabilidade na alimentação: liderar pelo exemplo

“O setor de produtos à base de plantas cresceu exponencialmente nos últimos dois anos, mas precisamos de atuar mais rapidamente se quisermos enfrentar a urgência da crise climática e o papel que a alimentação desempenha nesse processo. Sabemos que ainda há uma grande lacuna na compreensão do consumidor sobre o impacto positivo que a redução do consumo de carne pode ter no meio ambiente, por isso temos de ir muito além dos vegetarianos e veganos e aumentar significativamente o número de pessoas que optaram por diminuir o consumo de carne, encorajando todos a seguir esse exemplo e a normalizar a alimentação à base de plantas.”, explica Morten Toft Bech, fundador da Meatless Farm.

“Estamos todos familiarizados com o sucesso do Real Madrid nos relvados e isso deve-se à dedicação e excelência nos bastidores – o clube destaca-se pela especialização na nutrição e análise de desempenho. Além deste aspeto, é um dos clubes líderes pelos seus compromissos de sustentabilidade e vários estudos demonstram que os seus adeptos também têm um grande interesse em questões ligadas à saúde e meio ambiente. A equipa da capital espanhola tem, portanto, os valores, ambição, experiência, alcance e influência certos para ajudar a criar um movimento global de mudança”, acrescenta o responsável da Meatless Farm.

Por sua vez, Emilio Butragueño, diretor de Relações Institucionais do Real Madrid CF, considera que a Meatless Farm “combina sustentabilidade e nutrição, dois elementos centrais para o clube e para a estratégia de negócios”. O dirigente acrescenta: “Como marca global, temos um papel importante a desempenhar no envolvimento das comunidades para promover mudanças reais que ajudem a criar um mundo mais sustentável e a melhorar a saúde e desempenho pessoais”.

Meatless Farm quer ajudar portugueses a reduzir consumo de carne

Recorde-se que, no início de 2021, a Meatless Farm chegou a Portugal, com o objetivo de, com pequenos passos, ajudar a uma maior sensibilização dos portugueses para a necessidade de reduzirem o consumo de carne. Atualmente, os produtos da empresa já são comercializados em plataformas como a Easygreen (www.easygreen.pt) e estarão disponíveis, brevemente, no Recheio MasterChef (Caterplus), apoiando-os na diversificação da sua oferta.

Em Portugal, os produtos de origem animal continuam a ter um peso considerável na alimentação. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, cada habitante do território nacional consumiu, em 2019, 119 Kg de carne. Os portugueses começam a demonstrar, contudo, abertura para mudança de hábitos alimentares, quer por questões de saúde quer por uma maior predisposição para a preocupação ambiental. Aqui, refira-se os dados do Grande Inquérito sobre Sustentabilidade em Portugal, desenvolvido por investigadores do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa, e publicado em 2019, que demonstram que mais de metade (50,6%) dos inquiridos estão dispostos a reduzir o consumo de carne e a apostar numa alimentação de base vegetal (45,1%).

Check Also

João Pires Branco e Rosé 2023: a frescura do Moscatel para fazer companhia ao verão

As colheitas de 2023 do João Pires Branco e do João Pires Rosé já estão …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.