Museu do Oriente ensina a recuperar roupas e alimentos

Preocupado com a sustentabilidade do Planeta, o Museu do Oriente partilha duas técnicas ambientalmente responsáveis para recuperar roupa e alimentos, inspiradas em antigas práticas orientais, em workshops online que se realizam nos dias 8 e 12 de Maio.

O primeiro é dedicado ao Darning (cerzir/remendar) e explora uma técnica antiga de aplicação em peças de tricot ou tecido, em que a formadora Hikaru Noguchi é mestre.

Nos últimos anos, cada vez mais marcas e pessoas se preocupam com a reciclagem, a sustentabilidade e o impacto ambiental da indústria do vestuário. Remendar significa adicionar valor a uma peça, porque o objectivo é que ele fique visível e seja mais um atributo da peça. Nesta sessão pretende-se que os participantes aprendam, com uma especialista, as técnicas de “seed stitch”, utilizado para peças com danos leves ou nódoas, que não tenham um buraco, e “weave”, utilizado para grandes estragos, ou peças com buracos, mas cujos buracos não devem ser maiores do que o cogumelo de remendar ou do que a concha da sopa.

Hikaru Noguchi é uma designer de têxteis, japonesa, que vive entre o Japão e o Reino Unido. Nos últimos dez anos tem-se concentrado na técnica do darning, seguindo a filosofia de ‘looking after your belongings for a bit longer’ (cuidar dos nossos pertences por mais tempo). Tem três livros publicados no Japão, um dos quais está traduzido em Chinês e Inglês.

No dia 12, é Filipa Silva quem vai ensinar tudo o que sabe sobre “Fermentados, suas vantagens e como aprender a fazê-los”. Neste workshop teórico-prático, os participantes vão aprender porque devem incluir fermentados nas refeições, os tipos de fermentados que são mais benéficos, e como fazer diferentes tipos de picles, de acordo com a estação do ano e de que forma os comer. A formadora disponibilizará a lista de ingredientes antecipadamente, para os formandos poderem cozinhar a sua própria refeição em tempo real.

Os fermentados são um tipo de alimento que está cada vez mais associado à boa saúde intestinal e, consequentemente, ao fortalecimento do sistema imunitário. De acordo com a medicina chinesa, alguns tipos de fermentados, como são os picles, também ajudam a limpar o fígado. Cada país tem os seus próprios fermentados, sendo um dos mais recomendados o miso, proveniente do Japão. Para além do miso, no Oriente, a combucha e o kimchi (um tipo de picle picante) são muito populares e, em Portugal, o pão de massa mãe, os picles tradicionais de legumes e as azeitonas são também exemplos de fermentados. 

Filipa Silva é formada em Macrobiótica, Saúde e Auto-transformação, com especialização em Aconselhamento e Comunicação, pelo Instituto Macrobiótico de Portugal. Atualmente, leciona na Escola Macrobiótica. É licenciada em Matemática Aplicada à Economia e Gestão e mestre em Econometria Aplicada e Previsão, pelo ISEG da Universidade de Lisboa.

Ambas as actividades são realizadas em formato online, em direto através da plataforma Zoom. É necessária inscrição, disponível em museudooriente.pt.

Darning (remendos em tecidos ou peças de tricot)

  • Workshop online
  • Com Hikaru Noguchi
  • 8 Maio
  • Horário: 10.00-13.00
  • Preço: 55 €
  • Participantes: máx. 20
  • Actividade ministrada em Inglês

Fermentados, suas vantagens e como aprender a fazê-los

  • Workshop teórico e prático online
  • Com Filipa Silva
  • 12 de Maio
  • Horário: 18.00-20.00
  • Preço: 25 €/ participante
  • Participantes: mín.5, máx. 10
  • Público-alvo: Pais, filhos adolescentes (+15 anos) e todos os interessados em ter uma alimentação saudável

Check Also

Exposição imersiva pop-up de Flávia Junqueira invade o Teatro Tivoli BBVA

Os icónicos cenários criados pela artista Flávia Junqueira, imortalizados em formato fotográfico, ganham vida no …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.