Tété inaugura espaço museológico dedicado à Região Saloia (e ao queijo fresco)

A Tété – Produtos Lácteos, S.A. inaugurou ontem o Espaço Memória, um espaço museológico integrado na sua sede, em Lousa – Loures, que visa exaltar e dar a conhecer a cultura e identidade da Região Saloia, de onde é originário o queijo fresco. A exposição tem curadoria pedagógica da museóloga e historiadora Ana Paula Assunção e coordenação da agência ABSA Creative Solutions.

Corria o ano de 1147 quando Lisboa se preparava para ser o coração do país, incorporando o Reino de Portugal. Para responder às necessidades da região, o povo foi se fixando nas zonas rurais da capital, criando o seu sustento e a economia local e desenvolvendo uma cultura muito própria. O Espaço Memória leva os visitantes numa viagem a esses tempos, descobrindo os hábitos e tradições dos saloios de Lisboa.

“Esta é uma exposição que nos é muito querida, pois expressa também a identidade da nossa insígnia, enquanto marca que nasceu e se mantém na Região Saloia. É um pequeno espaço museológico integrado nas nossas instalações, mas que pode ser visitado por todos, porque foi pensado e desenvolvido para a comunidade local”, explica João Amaro, CEO da Tété.

Ao promover este projeto, a marca quer reforçar a proximidade ao consumidor local, abrindo as portas da sua fábrica e evidenciando a importância que a indústria dos produtos lácteos tem na região: “A Região Saloia teve e tem um papel fundamental para a economia do país. Lá, criaram-se indústrias que ainda hoje têm grande relevo, como é o caso da produção de queijo fresco: ainda hoje, é a zona da Península Ibérica onde mais se produz este tipo de queijo. Além disso, é uma região com uma cultura muito particular e rica, que merecia ser celebrada”, afirma o responsável.

A exposição está dividida em duas áreas: na primeira, encontram-se ilustrações que representam a época, de autoria de Pedro Alves, acompanhadas por um relato áudio da história da Região Saloia. Podem também ouvir-se testemunhos de alguns saloios, que contam na primeira pessoa como foi e é viver e trabalhar na região, sendo lavadeiras, agricultores ou queijeiros. Na segunda sala estão expostos utensílios do dia-a-dia e maquetes 3D da arquitetura da época, desenvolvidas pelo artesão local Joaquim Franco.

Todo o trabalho de investigação ficou a cargo de Ana Paula Assunção, doutorada em Turismo, mestre em História Regional e Local e museóloga, que em 2020 foi distinguida com o Prémio Museóloga do Ano, pela APOM – Associação Portuguesa de Museologia. Já o design gráfico e a produção ficaram nas mãos da agência ABSA Creative Solutions, responsável também pela coordenação de todo o projeto, que contou ainda com o apoio da Câmara Municipal de Loures, na cedência de algumas fotografias do seu arquivo histórico.

O Espaço Memória surge no âmbito da política de responsabilidade social da Tété, área que, em projetos anteriores, fez a marca ser distinguida com o Prémio Masters da Distribuição. Está localizado na Rua Principal, n.º 102, em Lousa – Loures, integrado no edifício da empresa, e pode ser visitado gratuitamente, com um guia, bastando para isso fazer uma marcação prévia, através do email espacomemoria@tete.pt.

Check Also

O Summer Camp da ULIS regressa em julho

O Summer Camp da United Lisbon International School está de volta, e promete, uma vez …