Too Good To Go junta-se ao Pacto do Porto para a promoção da sustentabilidade do sistema alimentar

O Pacto do Porto para o Clima, uma iniciativa da Câmara Municipal do Porto, anunciou a integração formal da Too Good To Go, empresa de impacto social responsável pela maior aplicação do mundo que liga os utilizadores a lojas parceiras para salvar alimentos não vendidos e combater o desperdício alimentar, e da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP) na sua comunidade de parceiros ativos. Esta adesão sublinha o compromisso conjunto de promover a importância de um sistema alimentar sustentável e a luta contra o desperdício alimentar, com o propósito de cumprir os objetivos de descarbonização estabelecidos no Pacto. É crucial salientar que o desperdício alimentar representa cerca de 10% das emissões globais de gases com efeito de estufa, reforçando a necessidade urgente de medidas eficazes nesta área para mitigar as alterações climáticas. O acordo foi formalizado a 2 de abril, no Mercado do Bolhão.

O evento teve início com a sessão de abertura conduzida pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal do Porto, Filipe Araújo. Seguiu-se um painel de discussão, que abordou a relevância dos sistemas alimentares sustentáveis e da luta contra o desperdício alimentar. Este painel contou com a presença do próprio Filipe Araújo, da Country Director em Portugal da Too Good To Go, Maria Tolentino, do Diretor da Faculdade de Ciências da Nutrição da Universidade do Porto, Pedro Graça, e do Diretor de Sustentabilidade da Ibersol, António Marques. Pelas 12h45, foi celebrada a adesão ao Pacto do Porto para o Clima pelos representantes das duas novas entidades.

Com estas novas integrações, o Pacto do Porto para o Clima alcançou a marca significativa de 235 subscritores institucionais comprometidos com as metas climáticas da cidade. O Município do Porto acredita que uma visão e meta comuns para a descarbonização podem contribuir para unificar todos os intervenientes na mesma direção, visando alcançar um objetivo partilhado. Esta posição do Porto sublinha o seu papel pioneiro e a sua voz proeminente na luta contra o desperdício alimentar. Com o Pacto do Porto para o Clima pretende-se despertar a ação dos cidadãos e organizações, criar uma grande comunidade de aprendizagem, partilha e apoio mútuo e encorajar outras cidades a adotarem medidas semelhantes. A subscrição do Pacto é voluntária, não vinculativa e sem custos.

“É urgente que o desperdício alimentar seja encarado como uma prioridade em Portugal, dada a sua influência devastadora a nível ambiental, económico e social. Esta preocupação invoca o nosso compromisso com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 12.3, que ambiciona reduzir para metade o desperdício per capita de alimentos até 2030. Com a recente nomeação dos ministros que integram o novo governo, encontramo-nos num momento determinante para definir as áreas-chave de ação para os próximos anos. Assim, apelamos ao governo que adote medidas concretas contra o desperdício alimentar nos primeiros 100 dias de legislatura, comprometendo-se com a implementação de ações significativas nos próximos 4 anos, em consonância com as políticas em desenvolvimento a nível da UE. Salientamos que a Comissão Nacional de Desperdício Alimentar (CNDA) já está a elaborar a Estratégia Nacional e Plano de Ação de Combate ao Desperdício Alimentar. Assim, as novas regulamentações aprovadas devem estar alinhadas com as questões abordadas por esta estratégia”, afirma Maria Tolentino, Country Director em Portugal da Too Good To Go.

“O desperdício alimentar deve, sem dúvida, fazer parte da agenda regulamentar e política. É fundamental realçar a importância das políticas públicas, tendo o Município do Porto como exemplo, e a relevância da cooperação público-privada. Estamos entusiasmados por sermos integrantes do Pacto do Porto para o Clima e consequentemente contribuirmos ativamente para a construção de um futuro mais sustentável para a cidade do Porto bem como para todo o país.” acrescenta Maria Tolentino.

“A adesão da Too Good To Go e da FCNAUP representa um avanço significativo na edificação de um Porto mais sustentável e resiliente. Em conjunto com um vasto leque de parceiros de diversas áreas, reforçamos o nosso compromisso coletivo de atingir a neutralidade carbónica até 2030. Esta colaboração sublinha a importância da ação local, determinada e diligente, como peça-chave na resposta aos desafios ambientais globais.” refere Filipe Araújo, o Vice-Presidente da Câmara Municipal do Porto.

A cidade do Porto foi selecionada, pela Comissão Europeia, para integrar o grupo das 100 Cidades Inteligentes e com Impacto neutro no clima, e como Cidade Missão, a ambição é que o Porto seja líder, a nível nacional e europeu, na ação climática, antecipando a neutralidade carbónica em 2030. A neutralidade na cidade invicta, bem como nas outras cidades, só poderá ser atingida com ações concretas levadas a cabo por todos os atores, independentemente da sua dimensão, da sua ação prévia ou personalidade jurídica. É crucial que a cidade do Porto e as restantes cidades eleitas atuem como ecossistemas de inovação, servindo de suporte a todas as outras na transição para alcançarem a neutralidade climática.

Check Also

Burger King® apresenta o Whopper®, Mais Whopper® Que Nunca

O Burger King® lançou o Whopper® há quase 70 anos com uma receita de sabor …