Exportações de frutas, legumes e flores crescem mais de 8% em valor no primeiro semestre

O valor das exportações de frutas, legumes e flores aumentou 8,3% no primeiro semestre, atingindo um total 1.036.728.509 €. Esta é a primeira vez que as vendas internacionais deste setor ultrapassam, nos primeiros seis meses do ano, a barreira dos mil milhões de euros.

Mais de 80% das vendas foram efetuadas para países da União Europeia. Espanha pesa 33% nas exportações e é o principal mercado das frutas, legumes e flores nacionais. Seguem-se França (14%), Países Baixos (13%), Alemanha (8%), Reino Unido (7%), Bélgica (4%) e Japão (3%).

O maior crescimento, em valor, das exportações é registado nos hortícolas (mais 24% em comparação com o primeiro semestre de 2022) e pelas preparações de produtos hortícolas e de frutas (subida de 18%). Já as frutas registaram um decréscimo nas exportações de 3% face ao primeiro semestre de 2022. A mesma tendência foi seguida pelas plantas ornamentais e flores (descida de 3%).

Analisando as vendas internacionais por quantidade, verifica-se uma descida de 12,9%, explicada pela redução significativa de algumas produções, resultante das alterações climáticas. A quebra mais acentuada em termos de volume dá-se nas plantas ornamentais e flores (menos 24%). Frutas e hortícolas registaram ambos um decréscimo de 18%.

A Portugal Fresh, Associação para a Promoção das Frutas, Legumes e Flores de Portugal, sublinha que os resultados alcançados pelo setor contrariam a tendência de queda do valor das exportações globais de bens que Portugal registou no primeiro semestre, confirmando a importância estratégica do setor agroalimentar para a economia nacional.

“As frutas, legumes e flores produzidas em Portugal são cada vez mais valorizadas nos mercados internacionais e esta evolução positiva nas exportações é o resultado de um trabalho feito pelo setor, cada vez mais moderno e tecnológico, virado para o mercado e que investe muito no conhecimento e inovação. Reafirmamos, mais uma vez, a necessidade de valorizar o setor agroalimentar, através da adoção, por parte do Governo, de políticas de gestão efetivas de recursos fundamentais como a água e apoios mais eficazes, desenhadas para as reais necessidades dos produtores e das empresas, e que não permaneçam sempre exíguas quando comparadas com as adotadas pelos governos dos países da latitude sul da Europa”, defende Gonçalo Santos Andrade, presidente da Portugal Fresh.

O presidente da Portugal Fresh acrescenta a ainda que “as empresas exportadoras têm efetuado uma abordagem cada vez mais profissional na valorização dos seus produtos, apostando na promoção internacional, em marca e na maximização do

valor acrescentado dos seus produtos, mesmo num contexto de incerteza nos mercados, e com desafios crescentes na produção, muitas com redução significativa de quantidade, resultantes das alterações climáticas”.

Em 2022, as exportações portuguesas de frutas, legumes e flores ultrapassaram, pela primeira vez, a barreira dos 2000 milhões de euros. Os principais produtos exportados foram o tomate processado (330 milhões de euros), os pequenos frutos (260 milhões de euros), os citrinos (172 milhões de euros), as peras (111 milhões de euros) e o tomate fresco (79 milhões de euros).

Check Also

ARTY by Pans são as novas sandes da Pans

A Pans apresenta a sua nova categoria de sandes ARTY by Pans como um convite …