Evax dá 1,2 milhões de pensos higiénicos a jovens em situação de pobreza menstrual

A campanha de sensibilização da Evax contra a pobreza menstrual em contexto escolar foi concluída com sucesso, com a marca a alcançar o objetivo de apoiar jovens em situação de vulnerabilidade com 1 milhão e 200 mil pensos higiénicos. Em Portugal, 12% das raparigas faltam à escola por não terem condições para comprar produtos de higiene menstrual, de acordo com o estudo ‘A Pobreza Menstrual em Portugal’, promovido pela marca.

A campanha foi desenvolvida em parceria com a Entrajuda, que através do seu Banco de Bens Doados vai garantir que cerca de 5000 raparigas têm acesso a pensos higiénicos todos os meses ao longo de um ano. Na compra de um pack Evax CottonLike ou Evax Liberty, a marca assumiu o compromisso de contribuir com um penso higiénico para combater a pobreza menstrual em ambiente escolar.

Com esta iniciativa, a Evax pretendeu dar resposta a uma realidade desconhecida para muitos e ter um impacto real e positivo na vida de milhares de raparigas que se veem confrontadas com a falta de recursos para comprar produtos de higiene menstrual, um bem essencial para a sua saúde e bem-estar.

“Em 2024, a pobreza menstrual continua a ser uma realidade que afeta muitas jovens em Portugal, que por não terem condições para comprar produtos de higiene menstrual acabam por faltar à escola. Com esta campanha, a Evax pretendeu, por um lado, apoiar jovens que, por não poderem comprar produtos de higiene menstrual, sofrem de absentismo escolar, e por outro amplificar esta realidade escondida”, explica Irene PérezMerino, Brand Manager da Evax.

Do Lar de Santa Cruz, uma das associações abrangida nesta ação, o feedback é muito positivo. “Este apoio é muito importante para nós. Sendo uma Casa de Acolhimento de Crianças e Jovens em Perigo, que acolhe adolescentes do sexo feminino, é imprescindível cultivar e trabalhar uma boa higiene menstrual. A ajuda que estamos a receber vai-nos permitir garantir que as nossas jovens terão menos uma preocupação nas suas vidas tão atribuladas ainda para tão tenras idades. Muito obrigada”, referem. Também o Instituto Madre Matilde, na Póvoa de Varzim, destaca a importância desta campanha. “É uma mais-valia para que as jovens acolhidas se sintam acarinhadas e possam, tal como as jovens não acolhidas, poder ter hábitos de higiene feminina importantes para o seu bem estar físico e emocional”.

Ainda segundo o estudo promovido pela Evax e realizado pela Spirituc – Investigação Aplicada, 23,5% das raparigas entre os 18-24 anos reconheceram que já tiveram de recorrer a produtos como lenços higiénicos, lenços, um segundo par de cuecas, algodão, roupa velha ou meias por não conseguirem comprar produtos menstruais. E 17,2% das raparigas disseram conhecer alguém que já faltou às aulas por não conseguirem adquirir produtos menstruais, enquanto 25,5% indicou que já tiveram amigas que lhes pediram produtos menstruais por não conseguirem comprá-los.

No mesmo estudo está também patente a baixa autoestima destas jovens. ‘Envergonhada’, ‘triste’, ‘mal’, ‘suja’, ‘vulnerável’, ‘nojenta’, ‘desconfortável’, ‘inútil’ ou ‘diferente’ foram algumas das expressões utilizadas pelas raparigas para descrever como se sentiram por faltar às aulas por não poderem comprar produtos menstruais.

Check Also

Renova paga prestação da casa com campanha “1 Ano de Casa Paga”

A Renova acaba de lançar a sua nova campanha “1 Ano de Casa Paga”, que …